Câncer no sangue: o que é, tipos, causas e sintomas





Vamos descobrir o que é câncer no sangue, os tipos mais comuns, suas causas e sintomas da doença. Este conteúdo pretende sanar todas as suas dúvidas sobre o câncer no sangue e como se prevenir.

Perda de peso, anemia, dor nos ossos, fadiga, infecções graves. Esses sintomas podem indicar câncer no sangue, uma doença que pode evoluir e oferecer risco de vida ao doente.

Mas antes de falarmos sobre todos os sintomas da doença, é preciso saber o que é e quais os tipos de câncer no sangue.

Câncer no sangue – O que é?

O câncer no sangue é uma doença que atinge as células do sangue e ataca o sistema circulatório. A doença é classificada em 4 fases que vão desde a presença de linfonodos até a anemia aguda. Conheça as fases do câncer no sangue:

  1. Presença de linfonodos – O câncer está começando, mas ainda não se espalhou para outros órgãos. A presença de linfonodos indica surto na contagem de linfócitos e o risco é intermediário.
  2. Aumento do baço e/ou do fígado – O crescimento de linfócitos é maior e o baço ou o fígado (ou ambos) são afetados na segunda fase do câncer no sangue.
  3. Anemia – Causada pela pouca produção de glóbulos vermelhos, a anemia é um dos principais sintomas do câncer, principalmente a leucemia.
  4. Queda na taxa de plaquetas sanguíneas – Na última fase, o câncer no sangue provoca uma queda súbita na taxa de plaquetas sanguíneas e a doença pode afetar os pulmões. Além da anemia aguda, existe um risco de vida maior para o doente, tanto nesta quanto na 3ª fase.

Algumas destas fases estão presentes em apenas um tipo de câncer no sangue que você conhecerá a seguir.

Tipos de câncer no sangue

O câncer no sangue é classificado em 3 tipos:

  • Leucemia – Doença maligna que se origina na medula óssea, onde os glóbulos brancos (leucócitos) reproduzem de maneira rápida e sem controle, afetando a capacidade do sistema circulatório em produzir o sangue.
  • Linfoma – É um tipo de câncer no sangue que prejudica os linfócitos (uma variedade dos glóbulos brancos, que ajuda o nosso organismo a se defender das infecções).
  • Mieloma – É o câncer que atinge os plasmócitos (células protetoras de anticorpos ou imunoglobulina) da medula óssea, e pode surgir em uma área como tumor ou perda óssea.

Ainda que os 3 tipos façam parte do câncer no sangue, é muito importante estar atento aos sintomas, pois eles têm poucas diferenças. Saiba quais são:

Sintomas de câncer no sangue

Leucemia

Os principais sintomas desse tipo de câncer no sangue são a anemia (quando os glóbulos vermelhos são prejudicados pelas células cancerosas), infecções (glóbulos brancos prejudicados) e hemorragia (mau funcionamento das plaquetas). Além disso, ocorrem outros sintomas:

  • Fadiga
  • Perda de peso
  • Fraqueza
  • Febre ou calafrios
  • Aumento do fígado ou do baço
  • Hemorragias nasais recorrentes
  • Suor excessivo (principalmente à noite)
  • Dor nos ossos ou nas articulações
  • Pequenas manchas vermelhas na pele
  • Infecções graves

O doente ainda pode experimentar dor de cabeça, vômito, convulsões e perda de controle muscular caso as células cancerosas atinjam o cérebro.

Linfoma

Os sintomas mais comuns do linfoma são:

  • Perda de peso e apetite
  • Sudorese noturna
  • Aumento dos gânglios linfáticos
  • Coceira no corpo
  • Fadiga
  • Fraqueza
  • Tosse
  • Náusea
  • Aversão ao alimento

Esse câncer no sangue não costuma causar dor e, na maioria dos casos, é assintomática dependendo do subtipo do paciente e da fase da doença. O aumento dos gânglios linfáticos pode ser observado por qualquer pessoa, pois o local – pescoço, axilas ou clavícula – apresenta-se com nódulos na pele. Estudos indicam que o aumento dos gânglios linfáticos esteja mais relacionado com as infecções do que com o linfoma propriamente dito.

Há outros sintomas deste tipo de câncer no sangue, como:

  • Inchaço no abdômen – Pode ser resultado do aumento do baço. Esse aumento comprime o estômago e provoca a sensação de saciedade mesmo após ingerir pouca refeição.
  • Inchaço no intestino – Devido a localização do linfoma, o movimento intestinal é alterado, causando náuseas, vômitos e dores abdominais. Caso esse câncer no sangue perfure a parede do intestino, seu conteúdo cai na cavidade abdominal provocando vômitos, náuseas, dores e infecção.
  • Alteração de personalidade – O paciente pode ser acometido por um linfoma cerebral, cujos sintomas vão desde dores de cabeça, fraquezas em determinadas partes do corpo, alteração de personalidade, até convulsões.
  • Dificuldades respiratórias – O linfoma do tórax causa dor e pressão no local, além de dificuldade respiratória e tosse.
  • Coceira na pele – Formada por um nódulo vermelho ou roxo sobre a pele, esse linfoma é facilmente detectável e de intensa coceira.

É importante destacar que nem toda dor intestinal, de cabeça ou de abdômen significa linfoma. Há outros fatores que levam a esses sintomas, portanto, só uma avaliação médica poderá constatar qual o seu problema.

Mieloma

Mesmo que o início da doença seja assintomático, a partir do momento em que o mieloma avança gradativamente, o doente pode ter os seguintes sintomas:

  • Falta de ar
  • Dor nas costas, peito e costelas
  • Dormência e dor no peito
  • Susceptibilidade à infecções
  • Chances de desenvolver problemas renais
  • Problemas ósseos
  • Sede excessiva

Outro sintoma desse tipo de câncer no sangue é o nível alto de cálcio no sangue. Isso acontece porque normalmente as células que formam um osso – chamadas de osteoblastos – emitem um sinal para que os osteoclastos (ossos velhos) possam se renovar. Porém, as células do mieloma destroem o osso velho mais rapidamente e impedem que os osteoblastos recebam o sinal para a renovação.

Sendo assim, os ossos ficam mais fracos, mas susceptíveis a fraturas e o cálcio que sai desses ossos velhos é em grande quantidade levando a perda de apetite, sonolência, confusão mental, insuficiência renal, desidratação e até a morte.

As chances do paciente desenvolver problemas renais ocorre porque o rim perde a capacidade de eliminar o líquido, o excesso de sal e detritos do organismo. Assim, a longo prazo, o paciente sofre com edemas e inchaço nas pernas.

Outro sintoma do mieloma que deve ser observado são as infecções que, em pacientes com esse tipo de câncer no sangue, têm 15 vezes mais chances de terem esse problema, pois o organismo não consegue mais produzir anticorpos a fim de combatê-las.

Câncer no sangue tem cura?

Para cada tipo de câncer no sangue há uma alternativa para a cura, seja transplante ou quimioterapia, mas há casos em que o tratamento natural para curar a leucemia, por exemplo, surtiu efeito com as ervas conhecidas por “Garcinia mangostana” e “Xanothenes”.

A cura, muitas vezes, depende do estágio do câncer no sangue: quanto mais cedo o diagnóstico, mais fácil tratá-lo e curar o paciente.

A cura da leucemia pode ser alcançada por transplante da medula óssea, mas também por quimioterapia, tratamento natural ou radioterapia, apesar desses três últimos serem métodos pouco comuns.

Já a cura do linfoma é obtida caso o tratamento seja iniciado precocemente, fazendo uso de quimioterapia e radioterapia. A taxa de cura é de 25% dos casos e a doença pode se agravar fazendo o paciente sofrer risco de morte.

Já o Mieloma, apesar de não ter estudos que comprovem a cura para este tipo de câncer no sangue, há tratamentos que visam melhorar a qualidade de vida do paciente, aliviando os sintomas e retardando sua progressão.

Independentemente do tipo de câncer no sangue, é sempre bom enfatizar que as consultas periódicas ao médico, a atenção para os sintomas destacados neste conteúdo e o tratamento tão logo o diagnóstico acuse o câncer em seu estágio inicial, são primordiais para que o paciente possa desfrutar de mais tempo de vida.

Lembre-se de que um diagnóstico antecipado é sempre a melhor forma de iniciar os tratamentos o quanto antes, inclusive o câncer no sangue. Comente e curta nossa página do Facebook!