Finasterida – Como usar no crescimento capilar e contraindicações

A calvície é um problema que atinge mais de 70% dos homens e que traz muitas vezes um desconforto estético, já que ocorre a queda de cabelo e o aumento progressivo de áreas sem crescimento dos fios ao redor da cabeça. Por isso a finasterida um remédio muito conhecido e usado para tratar a calvície, pois atua no couro cabeludo bloqueando a ação da enzima 5-alfa-redutase, responsável por transformar a testosterona em di-hidrotestosterona (hormônio relacionado ao afinamento dos fios).

Existem mais de 2.000 estudos no National Center for Biotechnology Information (NCBI, Centro Nacional para Informação Biotecnológica) sobre os efeitos nocivos da finasterida, foi liberada em 1997 nos Estados Unidos e em 1998 no Brasil, perdeu a patente em 2006, rendeu cerca de 424 milhões de dólares à Merck (farmacêutica que a lançou no mercado). Se interessou? Continue lendo abaixo e descubra para que serve a finasterida, como funciona, como usar, contraindicações e efeitos colaterais.

finasterida o que é
A finasterida é um remédio potente que age contra a calvície e torna a raiz do couro cabeludo mais forte

Para que serve

Quando este medicamento é utilizado em doses altas, pode ser indicado para o tratamento da hiperplasia prostática benigna (aumento benigno da próstata) e pelo estreitamento da uretra causando dificuldades em urinar, e também é indicado para o tratamento do câncer de próstata.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula que existe somente no homem.

Do tamanho de uma noz, está localizada abaixo da bexiga. A próstata envolve a uretra, isto é, um tubo que transporta a urina da bexiga até o orifício de saída do pênis.

Como funciona

Agindo como um antiandrógeno, inibe uma enzima chamada de 5-alfarredutase que converte a testosterona em di-hidrotestosterona. Esta, por sua vez, é um metabólito biologicamente ativo do hormônio testosterona, formado principalmente na próstata, nos testículos, nos folículos capilares e nas glândulas adrenais.

A di-hidrotestosterona é cerca de três vezes mais potente do que a testosterona, devido à sua afinidade pelo receptor de andrógenos e também é uma das grandes responsáveis pela calvície nos homens, ela age diretamente no processo de formação da DHT, inibindo a enzima que forma o super hormônio, diminuindo os níveis do hormônio no organismo. No couro cabeludo, a finasterida reduz especificamente os níveis de diidrotestosterona (DHT), a causa principal de queda de cabelo de padrão masculino. Desta maneira, ajuda a reverter o processo da calvície, levando ao aumento do crescimento capilar e à prevenção de perdas adicionais de cabelo.

Como o cabelo cresce no couro cabeludo?

O cabelo cresce em média cerca de 1 centímetro por mês a partir dos folículos capilares localizados abaixo da pele. Um único fio de cabelo do couro cabeludo cresce continuamente por 2 a 4 anos (fase de crescimento) e depois para de crescer por 2 a 4 meses (fase de repouso). Após este período, o cabelo cai. Em seu lugar, um novo fio de cabelo saudável começa a crescer e o ciclo se repete. Os fios de cabelo do couro cabeludo estão sempre em estágios diferentes desse ciclo, de forma que é normal perder cabelos todos os dias.

O que é a calvície de padrão masculino?

A calvície de padrão masculino é uma condição comum, na qual os homens experimentam a diminuição do volume dos cabelos, resultando em calvície no topo da cabeça. Essa condição é causada por uma combinação de hereditariedade e de um hormônio em particular, a DHT. Que contribui para que a fase de crescimento do cabelo seja mais curta e para a diminuição do volume do cabelo. Esse processo leva à calvície de padrão masculino. As alterações começam a ocorrer em alguns homens aos 20 anos de idade e vão se tornando mais comuns com a idade. Caso a perda de cabelo tenha ocorrido há muito tempo, essa perda pode ser definitiva.

Como usar finasterida

O uso da Finasterida é de 1 comprimido (de 1 mg) por dia, com ou sem alimentos, conforme a recomendação e orientação médica. Em estudos clínicos, superdoses de 400 mg por dia durante três meses não causaram efeitos adversos, no entanto, nunca mude a dosagem indicada sem acompanhamento. Ela não agirá mais rápido, ou melhor, se você tomar mais de uma vez por dia. Você deve tomar apenas um comprimido por dia. É importante que você tome pelo tempo prescrito por seu médico. O efeito a longo prazo se mantém apenas enquanto você estiver utilizando o medicamento. A calvície de padrão masculino é uma condição que se desenvolve por um longo período de tempo. O uso diário é por 3 meses ou mais pode ser necessário antes que você perceba o aumento do crescimento ou prevenção de perdas adicionais do cabelo. O uso contínuo da finasterida é recomendado para se obter máximo benefício. Se você parar de tomar, provavelmente em 12 meses após a interrupção do tratamento, você perderá o cabelo que ganhou com o tratamento. Se você deixou de tomar uma dose, deverá tomar a dose seguinte como de costume, isto é, na hora regular e sem duplicar a dose

Você também pode gostar destes conteúdos:

Contraindicações

Este medicamento é contraindicado para mulheres, independente de condição de gravidez. Mulheres grávidas ou que possam engravidar não devem manusear comprimidos esfarelados ou quebrados de Finasterida, devido à possibilidade de absorção e de risco potencial para o feto.

Também é contraindicada nos casos de hipersensibilidade a qualquer componente do produto. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
Não se deve ser usado na gravidez porque devido à capacidade dos inibidores da 5-á-redutase do tipo II, essas drogas podem causar anormalidades na genitália externa de fetos do sexo masculino, quando administradas.
Comprimidos esfarelados ou quebrados do produto não devem ser manuseados por mulheres grávidas ou que possam engravidar, devido à possibilidade de absorção da finasterida e do risco potencial subsequente para o feto do sexo masculino. Os comprimidos são revestidos para prevenir o contato com o ingrediente ativo durante o manuseio normal.
Não se sabe se é excretada no leite materno.
Não é indicado para crianças.
Uso em idosos: Estudos clínicos não foram realizados em idosos com calvície
de padrão masculino.

Efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais da finasterida, são:  diminuição da libido, disfunção erétil, diminuição do volume da ejaculação, aumento do volume e da sensibilidade das mamas, edema labial e erupções cutâneas.  Essas reações são consideradas raras (atingindo cerca de 3% dos usuários), em 2011, e em 2012, começaram a haver diminuição da libido, problemas ejaculatórios e problemas relacionados ao orgasmo que também persistiram meses após o término do tratamento. Foram feitos ainda relatos de infertilidade e baixa qualidade do sêmen, que foram revertidos normalmente ao parar com o uso da finasterida.

O surgimento dos efeitos colaterais persistentes levantou a preocupação de que eles pudessem se tornar permanentes, principalmente porque alguns pacientes afetados não apresentaram bons resultados com terapias de reposição hormonal voltadas para a correção dessas reações. O termo síndrome pós finasterida foi criado para descrever esses quadros, que podem envolver outros sintomas como: perda da sensibilidade genital, dor nos testículos, problemas de memória, depressão e ansiedade.

Ainda não se sabe como essa síndrome acontece no organismo, mas uma hipótese defende que este remédio causaria interferência na produção de alguns neuroesteróides (substâncias que participam das atividades do sistema nervoso), o que explicaria alguns dos efeitos de ordem emocional e sexual.

finasterida resultados
A finasterida pode ter um resultado demorado, mas ele aparece, e seus resultados podem ser permanentes

A finasterida pode fazer com que o organismo desenvolva alguma resistência ou insensibilidade aos hormônios androgênicos, e por isso os sintomas não respondem à reposição hormonal.

 

Gostou deste artigo sobre finasterida? Então deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!