Home / Sintomas / Bolhas na pele: o que pode ser?

Bolhas na pele: o que pode ser?

Talvez você tenha percebido o aparecimento de bolhas na pele e esteja preocupado com o que poderia ter causado esse sintoma. Contudo, as bolhas podem ser um sintoma de várias patologias, por exemplo, catapora, epidermólise bolhosa, dermatite herpetiforme, entre outras.

Normalmente, as bolhas na pele surgem como resposta a uma determinada lesão, que pode ocorrer devido a uma queimadura, fios encravados ou irritação, dessa forma, elas envolvem somente a camada superior da pele.

Veja mais sobre as possíveis causas das bolhas na pele e formas de tratamentos neste conteúdo e tire suas dúvidas!

Principais causas e tratamentos das bolhas na pele

Diversos fatores podem ocasionar as bolhas na pele, dentre eles:

  1. Epidermólise bolhosa

Esse é o nome dado a um grupo de patologias não contagiosas de pele, apresenta fator genético e hereditário. Quando as lesões causadas no portador são profundas, elas são capazes de produzir cicatrizes parecidas com as das queimaduras.

O principal sintoma dessa doença é o surgimento de bolhas na pele, principalmente em regiões de maior atrito, além das mucosas.

Conforme a gravidade do quadro, a epidermólise bolhosa congênita pode ser classificada de três formas:

1º Simples – é o tipo menos grave da doença, seu sintoma principal são as bolhas que se formam na maioria das vezes nas mãos, joelhos, pés e cotovelos, porém, cicatrizam sem deixar marcas.

2º Distrófica – os sinais desse segundo tipo é o aparecimento de bolhas em quase todo o corpo, incluindo a região da boca e do esôfago. As lesões provocadas no tubo digestivo, quando cicatrizam, são capazes de causar fibrose o que irá dificultar a passagem dos alimentos.

3º Juncional – Semelhante ao segundo tipo, nesse terceiro as bolhas também se espalham por todo o corpo, boca e esôfago, outro local também afetado é o intestino, o que provoca no paciente uma dificuldade para engolir e absorver os alimentos.

A epidermólise bolhosa não tem cura. O tratamento utilizado deve ser multidisciplinar e direcionado para aliviar a dor e evitar a piora das lesões e desnutrição.

  1. Catapora

Essa doença é causada por um vírus chamado de varicela-zóster, é considerada altamente contagiosa e muito comum em crianças, porém, não é vista como uma patologia grave. Caso uma pessoa seja exposta à catapora, esta ficará imune até o final da vida.

A catapora é transmitida por contato direto com a saliva, líquido das vesículas ou secreções respiratórias do indivíduo infectado.

Os sintomas da catapora são: mal-estar, falta de apetite, febre alta, fadiga e bolhas cheias de líquido.

Normalmente, a doença permanece por uma ou duas semanas, com isso o indivíduo fica curado.

  1. Pênfigo

Patologia parcialmente rara caracterizada pelo aparecimento de bolhas na pele e mucosas. Os pênfigos são gerados pelo ataque do próprio sistema imunológico, dessa forma, não podem ser transmitidos.

As bolhas formadas se rompem após horas ou dias, e o resultado final são feridas que levam muito tempo para se fecharem ou simplesmente não se fecham.

Existem dois tipos principais de pênfigo:

1º Pênfigo vulgar – nesse caso as bolhas normalmente iniciam pelas mucosas e depois passam para outras áreas até atingir todo o corpo.

2º Pênfigo foliáceo – esse segundo tipo não causa bolhas nas mucosas, apenas na pele.

O Pênfigo é tratado através de corticosteroides orais, podendo em alguns casos, serem usados também medicamentos imunossupressores.

  1. Penfigoides

Envolve um grupo de patologias autoimunes que causam a formação de bolhas na pele e nas mucosas.

O penfigoide bolhoso atinge principalmente idosos e caracteriza-se pelo surgimento de bolhas grandes e firmes que duram por muitos dias até se romperem.

O tratamento para essa doença é feito por meio do uso de corticosteroides e medicamentos.



  1. Dermatite herpetiforme

Essa patologia também é autoimune e apresenta como sintoma grupos de pequenas bolhas que provocam coceira.

Normalmente, boa parte das bolhas concentra-se em áreas como os joelhos, coluna lombar, cotovelos, nádegas e por atrás da cabeça.

No geral, a dermatite herpetiforme é ativada pelo consumo de glúten, uma proteína que se encontra em alimentos como cereais e a aveia, devido a esse fator quase todos os portadores dessa doença possuem intolerância ao glúten.

O tratamento utilizado inclui, basicamente, uma dieta sem glúten, somado ao uso de certos medicamentos direcionados a aliviar os sintomas.

  1. Urticária

É caracterizada por uma irritação cutânea que gera lesões avermelhadas e inchadas provocando coceira.

As lesões podem aparecer em qualquer região do corpo. Apesar de atingirem com mais frequência adultos e jovens, a urticária crônica é capaz de surgir em indivíduos de diversas idades.

A urticária apresenta alguns tipos diferentes, são eles:

1º Urticária aguda – os sintomas somem em menos de seis semanas.

2º Urticária crônica – os sintomas perduram por seis semanas ou mais.

3º Urticária induzida – quando existe uma causa identificada, como o uso de drogas, infecções, alimentos e estímulos físicos.

4º Urticária espontânea – quando a urticária surge sem um fator identificado.

O tratamento para essa doença é feito conforme o tipo de urticária, devendo sempre ser recomendado pelo médico dermatologista, depois que for avaliado detalhadamente o caso do paciente e realizado o diagnóstico.

  1. Queimadura

A queimadura acontece por causa de agentes térmicos, elétricos, químicos, radioativos, entre outros, provocando feridas traumáticas e em alguns casos bolhas na pele acompanhadas de líquido.

As queimaduras acometem os tecidos de revestimento do corpo, ocasionando na destruição parcial ou total da pele e seus anexos, em alguns casos pode chegar às camadas mais profundas.

Essas feridas são classificadas conforme a sua profundidade e tamanho, normalmente são mensuradas pelo percentual da superfície corporal atingida.

O tratamento para queimadura dependerá da sua classificação.

Nos casos menos graves como queimaduras solares e pequenas queimaduras, o paciente poderá ser tratado em casa.

Quando as queimaduras são profundas ou generalizadas, será necessário que o paciente receba os cuidados médicos de forma imediata, normalmente realizados em unidades especializadas para esse problema.

  1. Fios de cabelo encravados

O cabelo encravado é um pelo que apresenta dificuldade para romper a pele, dessa forma, acaba se encurvando e penetrando novamente na pele, provocando uma inflamação, é muito comum.

Quatro estágios compreendem o fio encravado: no primeiro, ele se encontra abaixo da pele; no segundo, ocorre uma inflamação, causando um inchaço e vermelhidão; no terceiro, surge o aparecimento de uma secreção amarelada; no quarto, costuma formar um cisto que deixará o local dolorido.

Existem várias formas de tratamento para pelos encravados, por exemplo, depilações definitivas, esfoliação, produtos específicos para desencravar os fios, pomada com antibiótico e remoção médica do fio encravado.

Espero que este artigo sobre bolha na pele tenha ajudado e esclarecido as suas dúvidas e curiosidades, se gostou deixe um comentário com sua opinião sobre o assunto em nossas redes sociais!


About Portal Universo da Saúde

Universo da Saúde - Um portal com conteúdos de qualidade sobre saúde, doença, causas, tratamentos, remédios caseiros e cuidados. Aproveite nossos conteúdos gratuitos e tome cuidado com a sua saúde.

Check Also

dor couro cabeludo

Dor no couro cabeludo: causas e tratamentos

A dor no couro cabeludo é uma sensação incômoda e parece que o couro está …