Bolsa de colostomia – O que é, cuidados e tipos.

Com o avanço de doenças e problemas de saúde, a medicina também se desenvolveu, sempre buscando resolver essas adversidades, seja na criação de remédios ou equipamentos que possam melhorar a vida dos pacientes.

Casos de câncer intestinal, doenças inflamatórias no intestino, neoplasia, processos inflamatórios, amputação do reto, entre outros, tem levado diversos pacientes a realizarem a cirurgia de colostomia, onde consequentemente passam a utilizar a bolsa de colostomia.

Para as pessoas que fazem o uso da bolsa de colostomia o início provavelmente é bem difícil, visto que a partir daquele momento será necessário que esta o acompanhe no seu dia a dia, além da recordação da enfermidade que gerou aquela cirurgia.

Ao saber que precisará usar a bolsa o paciente pode sofrer com a baixa autoestima, isolação e sentimento de inutilidade. No entanto, ela é essencial para que o mesmo possa ter seu cotidiano normal e mantenha a sua qualidade de vida.

Este artigo abordará o que é a bolsa de colostomia, como funciona, como limpar, quais os cuidados, tipos de bolsas, valor, mitos e verdades sobre o assunto.

Saiba mais sobre a bolsa de colostomia e esclareça suas dúvidas sobre o assunto.

O que é bolsa de colostomia

A bolsa de colostomia é um material ligado a estoma (abertura na parede abdominal), responsável por coleta o conteúdo fecal.

O uso desse produto ocorre quando o paciente realiza a cirurgia de colostomia, procedimento esse feito através de uma abertura na parede abdominal, onde será conectada a ela uma parte final do intestino por onde passará as excreções.

A bolsa de colostomia pode ser utilizada em duas situações: quando permanente ou temporária.

O médico especialista na área irá indicar qual o caso para cada situação vivenciada pelo paciente. Segue abaixo alguns critérios para o uso específico dessas duas maneiras:

  • Permanente: quando o indivíduo necessita amputar o reto, dos quais os principais motivos são câncer no reto ou próximo a ele, traumas amplos do reto baixo, ressecamento de todo intestino grosso e reto, podendo ser também, porém com menos frequência problemas de incontinência fecal acentuada e intratável.
  • Temporária: casos de descompressão do intestino, controle de fístulas, tratamento paliativo de um tumor colo-retal, proteção de anastomoses de risco, entre outros.
bolsa de colostomia o que é
Mesmo que seja permanente, é possível se acostumar e conviver normalmente com a bolsa de colostomia

Ao descobrir a necessidade de fazer a colostomia, o indivíduo precisará manter a calma e entender primeiramente que mesmo com os fatores negativos ela foi necessária para que ele conseguisse ter maiores possibilidades de cura e bons resultados após a cirurgia.

O paciente deverá aprender a esvaziar e trocar a bolsa de colostomia com a orientação de um profissional qualificado, de modo que venha a ser tornar independente para efetuar essa ação.

Como funciona a bolsa de colostomia

Nas cirurgias de ileostomia e colostomia é criado o estoma, ele pode ser pelo intestino delgado ou intestino grosso, de modo que estes não conseguem ser controlados voluntariamente.

Devido a esse fator surgiram as bolsas coletoras adaptadas à pele que tem a funcionalidade de juntar as excreções expelidas pelo organismo, que antes eram eliminadas por via natural (ânus), porém devido a determinados fatores precisou ser utilizado uma forma artificial (estoma).

Como limpar

Alguns cuidados precisam ser levados em consideração pelos usuários da bolsa de colostomia. A orientação deve ser feita por um profissional capacitado na área que irá mostrar o procedimento de higienização da forma correta.

Os cuidados podem ser:

  • Deve-se limpar o local da colostomia por meio de uma gaze com água morna;
  • Passar sabonete na região para retirar a sujidade e limpar a pele;
  • Secar suavemente o redor da abertura com gazes;
  • Medir a ostomia, para isso existe réguas apropriadas;
  • Marcar na bolsa de colostomia um círculo do tamanho do estoma;
  • Deve recortar a abertura marcada;
  • Verificar se a abertura não está apertada ou larga demais para o estoma;
  • O adesivo e protetor que recobre a aparência superior da placa deve ser retirado;
  • Colocar a placa com o aro sobre o local;
  • Na posição cefalocaudal, deve ser encaixada a bolsa;
  • Pressionar cuidadosamente o círculo, de modo que a bolsa fique segura;
  • A bolsa deve ser puxada para baixo com cuidado, para verificar se está encaixada;
  • A trava de segurança deve ser fechada;
  • A parte interna da bolsa pode ser limpa com água;
  • Existem barreiras que podem ser compradas para proteger a pele se preciso.

Cuidados

Depois de realizada a colostomia e iniciado a utilização da bolsa, o paciente precisa seguir certas recomendações. São elas:

  • Evitar levantar muito peso, principalmente se ele causar pressão no abdômen;
  • Procurar não fazer exercícios que necessitem de grande intensidade da força física;
  • Buscar não utilizar cintas que apertem a ostomia;
  • Retirar sempre que possível do cardápio comidas e bebidas que possuam muitos gases;
  • Os alimentos devem ser mastigados adequadamente;
  • A pele ao redor da ostomia precisa manter-se higienizada e depilada;
  • Nunca utilizar produtos agressivos (álcool, mercúrio, mertiolate, entre outros) no estoma para limpá-la;
  • Não friccionar a área com muita intensidade;
  • Não fazer uso de esponja áspera;
  • Ter atenção e cuidado para que insetos não toquem o local.
bolsa de colostomia cuidados
Nenhum cuidado com a bolsa de colostomia pode sr deixado de lado, pois pode prejudicar sua saúde

Você também pode gostar destes conteúdos:

Tipos de bolsa de colostomia

As bolsas podem ser encontradas em vários tipos, modelos e tamanhos. Seguem alguns tipos e suas especificações:

  • Bolsa de colostomia não drenável: são fechadas, elas não podem ser esvaziadas com frequência. A troca deve acontecer quando atingirem 1/3 da capacidade ocupada ou caso haja a necessidade.

Pelo motivo das trocas serem mais constantes podem resultar em machucados no local ao redor do estoma;

  • Bolsa de colostomia drenável: tem uma abertura na parte inferior, elas são esvaziadas com frequência. Possuem maior duração e reduz machucados na área do estoma, devido o fato da bolsa ser trocada em uma menor quantidade de vezes;
  • Bolsa de colostomia de uma peça: nela a placa e a bolsa coletora estão organizadas formando uma única peça. Esse tipo é mais barato e sua durabilidade pode chegar até 3 dias;
  • Bolsa de colostomia de duas peças: nela a placa e a bolsa coletora estão organizadas separadamente. Esse tipo tem como vantagem a facilidade da higienização do produto. Sua desvantagem é o preço que normalmente são caros se comparados aos outros.

Valor

As bolsas podem ser encontradas em farmácias e sites na internet, os preços variam muito dependendo do tipo, modelo e tamanho escolhido, podendo custar entre R$20 a mais de R$ 550.

No caso do paciente não ter condições financeiras para comprar as bolsas, ele pode solicitar ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Mitos e Verdades sobre a Bolsa de Colostomia

Devido à falta de conhecimento da população sobre a bolsa de colostomia, podem surgir alguns mitos. A seguir seguem algumas perguntas e respostas para esclarecer esse assunto:

A bolsa coletora precisa ser usada constantemente? Verdade!

Como não é possível controlar a eliminação de excreção a bolsa precisa ser sempre usada.

É proibido usar água nesse período? Mito!

O corpo todo deve ser hidratado.

As roupas precisam ser adaptadas? Mito!

Grande parte das bolsas oferecidas pelo mercado são finas e adaptáveis, não sendo percebido o seu uso embaixo das roupas.

Poderei me exercitar normalmente? Verdade!

Os exercícios físicos podem ser realizados com cuidado, porém é ideal a autorização do médico antes de iniciá-los.

Preciso evitar alguns alimentos? Verdade!

Certas comidas podem produzir muitos gases, como a batata, repolho, ovo, feijão, macarrão, etc. Outros alimentos podem amolecer muito as fezes, causar prisão de ventre, provocar odores fortes ou neutralizar o mau cheiro.

Não posso mais trabalhar? Mito!

Você poderá voltar a sua rotina, porém com certas adaptações. Antes disso é necessário conversar com o médico. É importante que nesse retorno o material de troca emergencial seja levado consigo.

A relação sexual será normal? Verdade!

Depois da recuperação a relação sexual pode acontecer normamente. Após a cirurgia é normal à redução do desejo, devendo ser conversado o retorno da relação com o parceiro, se mesmo assim vocês tiverem dificuldades é recomendado buscar um psicólogo.

No início ao saber da necessidade da cirurgia o paciente pode rejeitar a ideia. Pensar em ter uma bolsa ligada a ele poderá parecer algo vergonhoso e incômodo, porém depois de realizado o procedimento o mesmo se sentirá grato, pois a sua vida e saúde física estará bem melhor.

Espero que este artigo sobre bolsa de colostomia tenha lhe ajudado e esclarecido as suas dúvidas e curiosidades, se gostou deixe um comentário com sua opinião sobre o assunto!

 

Gostou deste artigo sobre bolsa de colostomia? Então deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!

5 (100%) 66 votes