Bronquiolite: doença comum em crianças e bebes

Bronquiolite é um tipo de doença pulmonar muito comum na infância, principalmente abaixo dos 2 anos de idade, e que pode ocorrer mais em certas épocas do ano — outono e inverno.

A inflamação que atinge os bronquíolos — estruturas bem pequenas do pulmão — formam a penúltima parte da árvore respiratória (faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolo).

Bronquiolite é uma doença contagiosa, podendo ser contraída por meio de brinquedos, toalhas, utensílios compartilhados, além de tosse ou o simples ato de falar.

Neste conteúdo, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre a bronquiolite, incluindo suas causas e formas de tratamento.

O que é bronquiolite?

Bronquiolite é uma infecção dos bronquíolos, mais comum em crianças abaixo de 2 anos de idade, e que tem seu maior pico no inverno.

É justamente nos bronquíolos que o ar que aspiramos, após percorrer a faringe – laringe – traqueia e brônquio, alcança os alvéolos, cuja função é entregar o oxigênio para o sangue. Como as estruturas no final do trajeto são muito finas, qualquer obstrução impede o oxigênio de chegar no alvéolo, gerando inchaço e excesso de muco nas vias aéreas.

Causas da bronquiolite

A inflamação nos bronquíolos é causada, principalmente, pelo vírus sincicial respiratório (RSV, em inglês), um vírus comum de estações mais frias e que atinge crianças menores. O RSV também pode levar a pneumonia em bebês abaixo de 1 ano.

Outros vírus causadores da bronquiolite são aqueles de resfriado e gripe, e menos comum é a infecção bacteriana. Na infecção viral, o muco acumulado, provocado pelo inchaço e inflamação, impede o fluxo de ar para os pulmões.

A doença pulmonar, como mencionado, é contagiosa, ou seja, qualquer objeto que a pessoa doente tiver tocado, pode servir de meio de contágio. Falar, tossir ou espirrar são outras formas perigosas de se contaminar.

Fatores de risco para a bronquiolite

Conheça os principais fatores de risco para a inflamação nos bronquíolos:

  • Bebês com menos de 3 meses;
  • Bebês prematuros;
  • Falta de amamentação;
  • Peso abaixo da média ao nascer;
  • Fumo passivo;
  • Imunodeficiência;
  • Clima frio;
  • Doença cardíaca, pulmonar ou neurológica em crianças;
  • Irmãos mais velhos com infecções respiratórias;
  • Ambientes fechados, com muita gente (como creches, por exemplo) também aumentam o risco de bronquiolite.

Sintomas de bronquiolite

Nem todas as crianças terão sintomas no mesmo grau de intensidade, porém o mais comum é a tosse e o chiado no peito (também conhecida por broncoespasmo) desenvolvidos após 2 a 3 dias da infecção respiratória.

Os sintomas incluem:

  • Tosse como sintoma de bronquiolite
    Tosse como um dos sintomas da bronquiolite

    Tosse;Chiado no peito;

  • Febre;
  • Fadiga;
  • Sonolência;
  • Cansaço ao mamar.

Em casos graves de bronquiolite, os sintomas costumam ser:

  • Cianose (pele azulada pela falta de oxigênio);
  • Dificuldade respiratória;
  • Taquicardia;
  • Vômito;
  • Apneia (pausa respiratória de uns 20 segundos).

Apesar de parecer uma doença preocupante, em muitos casos a bronquiolite desaparece alguns dias depois, e nem sempre as crianças precisam de hospitalização. Se a criança apresentar um dos sintomas graves, a procura médica deverá ser imediata.

Bronquiolite x bronquite: qual a diferença?

Embora nomes parecidos, a bronquiolite e a bronquite são doenças pulmonares diferentes. Enquanto a bronquiolite atinge os bronquíolos e afeta bem mais as crianças, a bronquite é uma inflamação dos brônquios que, como já foi mencionado neste conteúdo, é a parte que antecede os bronquíolos na árvore respiratória.

A bronquite também pode afetar as vias aéreas devido a alguma infecção patogênica. Além disso, a bronquite não só afeta crianças, como também é comum em adultos.

Outra diferença está relacionada com as causas destas duas doenças pulmonares. A bronquite pode ser causada por qualquer vírus e bactéria, enquanto a bronquiolite é mais comum pelo vírus sincicial.

Você também pode gostar destes artigos:

Diagnóstico de bronquiolite

Por meio de um exame físico e observação dos sintomas, o médico poderá diagnosticar a bronquiolite, sem a necessidade de um raio-X, por exemplo.

O diagnóstico nem sempre é rápido, visto que os sintomas da inflamação dos bronquíolos são comumente confundidos com os sintomas de gripe e resfriado.

O médico poderá solicitar alguns exames — Raio-X do tórax, amostra de muco extraído e exame de sangue — caso a criança apresente sintomas mais graves, como taquicardia, respiração dificultada ou qualquer outro citado neste conteúdo, ou alguma outra doença que poderia provocar os sintomas.

Tratamentos de bronquiolite

Como mencionado, a bronquiolite é uma inflamação nos bronquíolos, e nem sempre precisa de hospitalização, podendo ser tratada em casa. Mas é importante frisar que bebês menores de 6 meses precisam ser avaliados por pediatra.

O tratamento de bronquiolite pode ser realizado com o uso de antibióticos, em casos de infecção bacteriana. Na maioria dos casos, a infecção é viral, portanto, os antibióticos não fazem efeito.

Alguns tratamentos podem incluir:



  • nebulização para tratar bronquiolite
    Nebulização com soro para ajudar no tratamento da bronquiolite

    Nebulização com soro;

  • Antipiréticos;
  • Repouso;
  • Broncodilatadores (em caso de broncoespasmo).

Alguns medicamentos para tratar bronquiolite em casos graves:

  • Meticorten;
  • Mucosolvan;
  • Cefanaxil;
  • Leucogen.

É válido ressaltar que todo e qualquer sintoma de infecção pulmonar deve ser reportada ao médico, e os medicamentos devem ser prescritos pelo profissional da área. Não dê remédios às crianças sem orientação médica.

Tratamentos naturais de bronquiolite

Há maneiras de prevenir a doença pulmonar, bem como tratá-la antes que ela se agrave. Abaixo, uma lista de dicas de tratamento que podem ser bastante eficientes.

  • Lave bem as mãos antes de cuidar do bebê;
  • Desinfete todos os objetos que as crianças usam;
  • Deixe o ambiente ventilado à temperatura superior a 19º C;
  • Hidrate a criança fazendo-a ingerir bastante líquido;
  • Não beije o bebê se você estiver com suspeita de resfriado ou gripe;
  • Não leve crianças a ambientes movimentados e/ou fechados;
  • Afaste o bebê de qualquer poluente, como cigarro;
  • Aconselhe a criança a deitar-se de barriga pra baixo.

Esses foram alguns conselhos para a prevenção e tratamento natural de bronquiolite. Lembrando que se os sintomas persistirem, é importante procurar o médico. As dicas presentes neste conteúdo servem como aliados ao tratamento receitado por um profissional de saúde.

Caso este artigo sobre bronquiolite tenha lhe ajudado, deixe um comentário e curta O universo da saúde no facebook!


5 (100%) 31 votes