Home / Cirurgias / Cirurgia de catarata: O que é, riscos, quanto custa, complicações

Cirurgia de catarata: O que é, riscos, quanto custa, complicações

A cirurgia de catarata é um tratamento eficaz para essa doença que atinge o cristalino do olho. O cristalino é uma lente natural que todos possuímos e que está localizado por trás da íris. Normalmente, essa lente é clara e transparente, o que permite que os raios luminosos passem por ele, e assim seja possível formar a imagem no fundo do olho.

A cirurgia de catarata é necessária quando o cristalino perder essas características e ficar com aspecto opaco. Quando isso acontece, os raios luminosos não conseguem passar, e isso impede que a imagem seja formada no fundo do olho. Isso é o que caracteriza a catarata.

Apesar de todo o avanço da medicina nas ultimas décadas ainda não existe colírio ou algum tratamento menos invasivo para tratar esse mal. É por essa razão que o tratamento mais eficaz que permite que o paciente volte a enxergar normalmente é a realização da cirurgia de catarata.

O que é a cirurgia de catarata

A cirurgia de catarata é um procedimento cirúrgico que tem por objetivo tratar a catarata ocular. Esta é a única forma de tratar esse mal, já que não existem outras opções de tratamento.

Não há apenas um tipo de catarata como muitos acreditam. A mais frequente é a catarata senil, que ocorre nos idosos. Mas além desse tipo, existem outras como a congênita, subcapsular, cortical, nuclear, traumática e outras que não são tão frequentes, mas que também incidem a população em geral.

O fato de alguma pessoa ser diagnosticada com catarata não quer dizer que ela terá de fazer o procedimento cirúrgico para trata-la. Um desses casos é a catarata incipiente.

A decisão de fazer a cirurgia de catarata deve ser tomada pelo oftalmologista, junto com o paciente, após avaliar seus exames oftalmológicos e demais dados.

Uma das técnicas cirúrgicas oculares que tem se desenvolvido muito nos últimos anos é, justamente, a cirurgia que trata a catarata.

Como é realizada a cirurgia de catarata

Atualmente, a técnica cirúrgica ocular para tratar a catarata combina o laser e a facoemulsificação. Através do laser a incisão é feita e a catarata é rompida para que sua remoção seja feita através da facoemulsificação.

Essas incisões feitas nos olhos com o laser são bem pequenas e mal chegam a medir 3,5mm. Através da ruptura, é inserida no globo ocular uma espécie de cânula que está ligada a um equipamento ultrassônico. É ele que irá aspirar a catarata.

Após esse procedimento, uma lente intraocular é implantada por meio da incisão. Quem vai decidir qual o tipo de lente que será implantada (multifocal ou monofocal) e o grau que ela conterá é o oftalmologista junto com o paciente.

Enquanto a cirurgia é realizada, o paciente permanece deitado e o médico-cirurgião faz uso de um microscópio para poder visualizar melhor o local. Ao fim desse processo, é colocado um curativo no olho operado que pode ser feito com tampão acrílico, óculos escuros ou até mesmo gaze. A escolha do mesmo depende do tipo de técnica que foi utilizada. O oftalmologista também receita colírios que devem ser usados por certo período.

O paciente não precisa ficar internado, pois a técnica cirúrgica ocular utilizada é muito segura. Assim, com o fim do procedimento, o paciente já tem alta e pode voltar para casa.

Cirurgia de catarata a laser

cirurgia de catarata a laser
Cirurgia de catarata: procedimento à laser

A cirurgia de catarata a laser é uma opção existente, mas que não consegue se impor a facoemulsificação. Afinal, seu tempo de realização é mais demorado, nas cataratas que possuem certa dureza, ela não consegue ser eficaz e ainda corre-se o risco de queimar a córnea.

É comum encontrar pacientes que dizem terem feito a cirurgia de catarata a laser, mas isso é um engano. O fato da cirurgia refrativa fazer uso do laser para a incisão não quer dizer que esta foi a tecnologia empregada do começo ao fim. Além do mais, a técnica de facoemulsificação faz uso de ultrassons que nada tem a ver com o laser.

Riscos da cirurgia de catarata

Geralmente, essa cirurgia não apresenta qualquer tipo de complicação. Entretanto, isso pode acontecer. Nos dias que se passarem desse procedimento cirúrgico, pode acontecer do paciente apresentar:

  • Vazamento pela incisão
  • Olho roxo ou machucado
  • Sangramento
  • Glaucoma
  • Inflamação
  • Endoftalmite ou infecção
  • Astigmatismo pronunciado
  • Descolamento da retina ou lente intraocular
  • Laceração da cápsula posterior.

Passados alguns meses da cirurgia pode ser que aconteça uma catarata secundaria ou até mesmo um edema macular cistóide.

Você também pode gostar destes artigos:

Quanto custa a cirurgia de catarata

Preço

A média do tempo necessário para a conclusão da cirurgia de catarata varia, mas a média é em torno dos 20 minutos. Dependendo da gravidade, o valor cobrado por médicos particulares para a sua realização varia entre R$ 2,5 mil a R$ 8 mil.

Alguns planos de saúde oferecem cobertura para a realização dessa cirurgia. Mas quem não possui plano de saúde ou não dispõe dessa quantia pode recorrer ao Sistema Único de Saúde, SUS.

Cirurgia de catarata pelo SUS

Qualquer pessoa tem direito de fazer a cirurgia de catarata gratuitamente pelo SUS. O médico é que faz o encaminhamento do paciente para esse sistema indicando qual a urgência da operação. Após isso, ele fica numa fila de espera aguardando sua vez de passar por esse procedimento.

Cada cidade possui um atendimento pelo SUS. É por isso que nas cidades menores, a realização desse procedimento cirúrgico costuma ocorrer com mais rapidez, enquanto que nos grandes centros, a espera é um pouco maior. Como não são todos os municípios que possuem clínicas conveniadas ao SUS, o paciente tem de se deslocar para o local indicado.

Pré-operatório cirurgia de catarata

Não é preciso fazer exames laboratoriais específicos na avaliação pré-operatória. Entretanto, é necessário que um oftalmologista faça uma avaliação através de exames oftalmológicos.

Nesse caso, ele precisará avaliar o fundo do olho, acuidade visual, topografia da córnea, pressão intraocular e também realizar a ultrassonografia do globo ocular. Também é necessário que o mesmo faça um cálculo para saber qual a lente intraocular que será implantada.



Pós-operatório e recuperação da cirurgia de catarata

No pós-operatório da cirurgia de catarata, o paciente vai perceber que, em algumas horas, sua visão retorna ao normal. Em poucos dias ele pode realizar suas atividades, mas não pode praticar atividades que causam impacto ou que tenham algum risco de impacto.

Coceira no olho cirurgia de catarata
Coçar o olho não é indicado após a cirurgia de catarata

Por isso, nesse período é importante que o mesmo evite praticar exercícios físicos, esportes e até dirigir. Mas além desse cuidado, existem outros que precisam ser tomados como os olhos. São eles:

  • Nos primeiros dias após a cirurgia precisa evitar dormir sobre o olho que foi operado.
  • Não coçar.
  • Não esfregar.
  • Não fazer qualquer esforço físico.

Complicações pós cirurgia de catarata

A técnica cirúrgica ocular adotada atualmente é tão segura que praticamente não existem complicações após a cirurgia de catarata. Entretanto, esse risco existe sendo que as que ocorrem com mais frequência são:

  • Olho roxo – o paciente apresenta uma mancha pequena que pode ser vermelha ou roxa na pálpebra inferior. Isso é comum surgir após a cirurgia de catarata devido a injeção de anestesia aplicada antes do procedimento. Mas em alguns dias ela some e não é preciso o paciente se preocupar, pois ela não atrapalha em nada.
  • Pressão ocular – o olho pode sofrer um aumento na sua pressão que geralmente é transitório e pode ser controlada facilmente com a aplicação de colírios receitados pelo oftalmologista.
  • Edema de córnea – caso a cirurgia seja muito traumática e/ou o paciente tenha uma córnea doente, pode acontecer de ela ficar inchada. Isso provoca visão turva, sensação similar que se tem ao olhar um vidro fosco ou molhado. Em alguns dias, esse problema se resolve, mas nos casos que são mais extremos, pode ser necessário fazer o transplante de córnea.
  • Moscas volantes – o paciente se queixa de enxergar pontos pretos que parecem teias de aranha ou insetos que flutuam na frente da visão. Geralmente isso não representa qualquer risco à visão.
  • Descolamento de retina – essa complicação é rara e grave. Comumente ocorre em pacientes que têm alto grau de miopia e cirurgias complicadas. Antes de fazer a cirurgia, é bom realizar um exame de fundo de olho para que seja identificada alguma lesão na retina que causam risco da retina descolar.
  • Endoftalmite – de todas as complicações, essa é a mais temida, pois trata-se de uma infecção grave que atinge todas as estruturas do olho. É fundamental usar antibióticos na forma de injeção e colírio e, em casos que o tratamento não surte resultado, operar novamente o paciente.
  • Opacidade de cápsula posterior – trata-se de uma complicação mais simples. Ela causa a visão turva, mas basta limpar a cápsula a laser para que a visão fique clara novamente.

Olho vermelho após cirurgia de catarata

Alguns pacientes apresentam o olho vermelho alguns dias após a cirurgia de catarata ter sido realizada. Isso pode ser sinal de inflamação, principalmente se vier acompanhado de outros sintomas, como inchaço e dor.

É importante procurar o médico o quanto antes para que ele avalie o caso e possa intervir rapidamente. Assim, caso seja realmente um quadro inflamatório, é possível obter sucesso no tratamento.

Caso este artigo sobre cirurgia de catarata tenha lhe ajudado, deixe um comentário e curta O universo da saúde no facebook!


Veja!

cirurgia plástica

Cirurgia plástica – Veja as cirurgias mais realizadas atualmente

Muitas são as pessoas que querem fazer algum tipo de cirurgia plástica em alguma parte …