Dermocosméticos

Os dermocosméticos já são conhecidos das mulheres, principalmente as que estão acima dos 30 anos e gostam de se cuidar e manter a pele jovem e saudável. Tem finalidades estéticas e terapêuticas (de antirrugas a cicatrizante) e se apresentam para todos os tipos de pele.

Existem diversas marcas e produtos no mercado, de modo que se você não tem muita certeza sobre qual deles comprar, pode consultar um dermatologista porque ele costumam indicar esses produtos e conhecem o que é mais eficaz para cada caso.

Dermocosméticos, no entanto, não são remédios. Mas também não são meros cosméticos. Você não vai encontrá-los em supermercados ou lojas de conveniência, somente em farmácias.

Os produtos considerados dermocosméticos são muito utilizados em tratamentos estéticos e dermatológicos não muito severos (como tratamento de acnes) e possuem comprovações clínicas, feitas através de rigorosos protocolos desenvolvidos por dermatologistas.

O que são os dermocosméticos

Dermocosméticos são produtos farmacológicos que atuam em camadas mais profundas da pele. Possui garantia de resultados e de segurança pela Anvisa. Por essa razão eles são também conhecidos como um intermediário entre cosméticos e medicamentos. São indicados para diversas finalidades: clareamento de manchas na pele, tratamento de acnes, estrias, celulite, marcas de expressão, etc.

Já existem, inclusive, dermocosméticos sendo produzidos com auxílio da nanotecnologia, que pretendem aumentar ainda mais o poder de absorção do produto, dando aos consumidores resultados ainda mais efetivos.

Os dermocosméticos são isentos de uma série de substâncias presentes em medicamentos e cosméticos, como corantes, aromatizantes ou quaisquer ingredientes com função de adereço ao produto. Todos eles são hipoalergênicos e sem contraindicações para peles muito sensíveis.

Veja também:

Algumas marcas de dermocosméticos utilizam água termal em sua composição. Mais mineralizada que a água potável, a água termal é extremamente benéfica à pele: limpa, tonifica, hidrata, equilibra o ph e regenera as proteções cutâneas contra agentes agressivos (como vento, frio, poeira ou calor).

Diferenças entre cosméticos e dermocosméticos

Os dermocosméticos podem ser usados para tratamentos dermatológicos. Eles não precisam de receita médica, mesmo assim, muitos dermatologistas prescrevem, quando se tratam de casos mais simples, como acnes, cicatrização de feridas ou erupções cutâneas.

Dermocosméticos costumam ser utilizados em tratamentos de pele a médio ou longo prazo, sejam estéticos ou de outro tipo. Como atuam em camadas mais profundas da pele, eles continuam fazendo efeito mesmo horas após a aplicação, potencializando seu efeito inicial.

Já os cosméticos têm ação imediata, momentânea e limitada às camadas mais superficiais da pele. Se os dermocosméticos alteram a fisiologia da pele de modo a resolver ou reduzir a médio/longo prazo um problema, os cosméticos criam uma mudança temporária: perfumam o corpo, hidratam, protegem ou escondem alguma imperfeição.

Se você vai a uma festa, mas não dormiu muito bem na noite anterior e quer disfarçar as olheiras, a melhor alternativa é um cosmético, no caso, um corretivo de acordo com o tom de sua pele.

Mas se você tem olheiras por conta de um fato genético ou qualquer outro motivo deseja acabar com elas ou pelo menos suavizar o aspecto, o ideal é um dermocosmético.

Dermocosméticos e cosméticos, portanto, têm finalidades diferentes. A decisão por um ou por outro vai depender das demandas da sua pele.

Com relação aos princípios ativos, existe ainda uma diferença importante entre dermocosméticos e cosméticos, que é a patente. No caso dos dermocosméticos, os produtos são resultado de intensa pesquisa e experimentação científica laboratorial. As formulas são patenteadas pelo fabricante. Isso não acontece com os cosméticos, cujos princípios ativos são de uso livre.

Os dermocosméticos, em consequência, geralmente são mais caros que os produtos cosméticos. Isso ocorre porque as pesquisas e testes, bem como manutenção das patentes, geram custos que irão influenciar as estimativas de preços.

Outra diferença que vale ressaltar está na quantidade de princípio ativo nas fórmulas, que é maior nos dermocosméticos que nos cosméticos. Todavia, essa quantidade não deve nunca ser maior do que a existente nos medicamentos.

Como usar dermocosméticos

Pela manhã, antes de mais nada é preciso lavar bem a pele com sabonete neutro. Depois você pode passar uma loção de limpeza. Em seguida passe seu creme antirrugas (preferencialmente com ação hidratante). Por fim passe o protetor solar (pode ser desses com cor ou incolor, de acordo com sua preferência).

Via de regra deve-se esperar um pouco até um produto ser absorvido pela pele, para que o seguinte seja aplicado.

É muito importante utilizar esses produtos na ordem correta, sob pena dos efeitos de todos ficarem comprometidos. Até o efeito estético da cor do protetor solar não será o mesmo.

Vale ressaltar que dermocosméticos específicos (de ação antioxidante, por exemplo) devem ser utilizados de acordo com a recomendação do dermatologista ou com as indicações do fabricante.

Se você for utilizar maquiagem, deve primeiro, limpar/tonificar a pele, depois passar um dermocosmético hidratante, depois o protetor solar (caso necessário) e finalmente a maquiagem.

Benefícios

Entre os benefícios dos dermocosméticos, temos:

  • A garantia de utilizar produtos testados e aprovados pela Anvisa;
  • Regeneram a fisiologia cutânea;
  • Aumentam a taxa de lipídios;
  • Podem ser consumidos por pessoas alérgicas ou com pele muito sensível, sem riscos de causar reações adversas;
  • Tratam ou minimizam diversos problemas de pele de forma definitiva;
  • Hidratam e aumentam e elasticidade da pele
  • Seus efeitos atuam em camadas mais profundas da pele e agem durante e após a aplicação.
  • Mantém a pele saudável e protegida conta agentes erosivos (vento, sol, poluição, frio, etc)

Contraindicações

Apesar de não haver contraindicações expressas para o uso de dermocosméticos, existem alguns cuidados importantes:



  • Você precisa saber qual dermocosmético é adequado para o que você quer tratar e para o tipo de pele;
  • Mesmo sendo hipoalergênico, é importante conferir se fosse não tem alergia a algum componente do produto que quer comprar;
  • Suspenda o tratamento se a pele ficar vermelha ou irritada;
  • Em muitos casos, os resultados demoram um pouco para aparecer, mas é preciso disciplina: fazer as aplicações na quantidade e nos horários certos;
  • Jamais utilizar produto com data de validade expirada. Quando vencidos, dermocosméticos podem sofrer oxidação e mudanças de pH, o que pode causar queimaduras e infecções.

Qual sua experiência com dermocosméticos? Conte-nos e curta nossa página do Facebook!


Rate this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *