Hipotireoidismo: causas, sintomas e tratamentos para o distúrbio da tireoide

Hipotireoidismo é uma das doenças mais comuns e que atinge as glândulas da tireoide, fazendo com que elas produzam menos hormônios que o necessário.

Mulheres acima de 50 anos, com histórico familiar da doença endócrina têm mais chance de sofrerem com o hipotireoidismo. A doença também pode ter origem autoimune, caracterizada pela Tireoidite de Hashimoto.

A Tireoidite de Hashimoto faz com que os anticorpos ataquem a glândula tireoide, como se ela fosse uma invasora. Vamos abordar neste conteúdo as causas, sintomas e tratamento para o hipotireoidismo.

O que é hipotireoidismo?

Hipotireoidismo é uma doença endócrina que provoca baixa produção de hormônios, o que leva o organismo a não funcionar da forma correta.

O hipotireoidismo é caracterizado por baixos níveis de T4 (hormônio tetraiodotironina) e elevado TSH (hormônio produzido pela glândula hipófise) que afeta o metabolismo, a frequência cardíaca, a temperatura do corpo e a capacidade de se movimentar mais rapidamente.

Tipos de hipotireoidismo

Existem alguns tipos de hipotireoidismo que são causas da doença da tireoide. Vamos conhecer alguns deles:

  • Tireoidite de Hashimoto ou hipotireoidismo primário

A tireoidite é a principal causa do hipotireoidismo. Autoimune, a doença ataca o próprio sistema de defesa, produzindo anticorpos com o intuito de destruir a glândula da tireoide.

  • Hipotireoidismo secundário ou terciário

Também conhecido como hipotireoidismo central, o tipo secundário e terciário é raro, envolvendo a hipófise ou hipotálamo, duas estruturas que se encontram na caixa craniana.

  • Hipotireoidismo subclínico

Ocorre quando os níveis de T4 estão normais, mas o TSH já está elevado. É tido como uma fase inicial da doença.

  • Hipotireoidismo congênito

O tipo congênito acomete crianças recém-nascidas, sendo através do teste do pezinho que o hipotireoidismo é detectado. É importante iniciar o tratamento o quanto antes para evitar sequelas, tais como retardo mental e desenvolvimento tardio.

Causas do hipotireoidismo

Além das causas citadas em seus diferentes tipos, outras causas relacionadas a fatores de riscos acarretam na baixa produção de hormônios. São eles:

  • Alguma doença autoimune;
  • Deficiência de iodo;
  • Ter sofrido radiação na cabeça e/ou pescoço;
  • Histórico familiar;
  • Bócio, nódulos (outros problemas que afetam a tireoide);
  • Medicamentos (amiodarona, carbonato de lítio, metimazol, propiltiouracil);
  • Hepatite C;
  • Síndrome de Down.

Medicamentos para emagrecer ou para o hipertireoidismo, infecção por vírus da gripe (pouco comum), gravidez e pós-parto (ambos temporários) também podem causar o hipotireoidismo.

Sintomas do hipotireoidismo

Os sintomas do hipotireoidismo podem começar lentamente e perdurar por anos até que se intensificam e tornem-se incômodas, como:

  • Cãibras;
  • Dor de cabeça;
  • Pele seca;
  • Dor muscular;
  • Mãos e pés frios;
  • Queda de cabelo;
  • Frequência cardíaca lenta;
  • Tendinite nas mãos ou túnel do carpo;
  • Letargia (movimentos lentos);
  • Fraqueza e dormência no corpo;
  • Constipação intestinal;
  • Memória fraca e baixa concentração;
  • Sono excessivo;
  • Rouquidão;
sintomas do hipotireoidismo
Conheça os sintomas de hipotireoidismo para saber como realizar seu diagnóstico

O aumento de peso também costuma ser um dos sinais do hipotireoidismo, apesar de que nem todas as pessoas desenvolvem todos os sintomas. A depressão, demência e mudança de personalidade também podem surgir em casos de baixa produção de hormônios T4.

Tratamento para hipotireoidismo

Para tratar o hipotireoidismo, o médico receita uma reposição hormonal, no caso, um medicamento que é uma versão sintética do hormônio T4, chamado de levotiroxina.

A levotiroxina, conhecida por seus nomes comerciais — Puran T4, Synthroid e Euthyrox —, ajuda a restaurar os níveis normais de hormônios e a reduzir os sintomas do hipotireoidismo.

O médico vai determinar o período de um novo exame para verificar os níveis de TSH e evitar doses excessivas que levam a efeitos colaterais, como palpitações cardíacas, insônia e tremores.

Os tremores podem ser confundidos com o Parkisionismo (sintomas do Mal de Parkinson, mas que não configura necessariamente uma doença do Parkinson), entretanto, há de se observar outros sintomas, como rigidez muscular e instabilidade postural em casos de parkisionismo.

A levotiroxina não é muito bem absorvida pelo corpo quando há uma dieta rica em fibras, alimentos com muita quantidade de soja, além de suplementos de cálcio e de ferro, por isso, é muito importante cuidar da alimentação para que ela se torne uma aliada ao medicamento.

Alimentos e/ou suplementos que contenham:

  • Iodo: o sal, vendido no Brasil, já é iodado, mas existem comprimidos à base de alga marinha, cuja recomendação é de 325 mcg/dia, sendo ingerido junto do selênio. A solução Lugol é o suplemento mais popular da categoria.
  • Selênio: alimentos ricos em selênio devem fazer parte a dieta de quem toma levotiroxina, ou tomar selenometionina a 200 mcg/dia. Cuidado em não ingerir doses acima de 400 mcg/dia.
  • Zinco: consuma alimentos ricos em zinco ou em forma de aminoácido quelato de zinco, picolinato ou glicinato a 15-30 mg/dia.

O consumo desses suplementos aliados ao levotiroxina contribui para que os sintomas do hipotireoidismo não persistam, situação pela qual muitos pacientes passam quando fazem uso do medicamento.

Tratamentos para hipotireoidismo
Tratamentos para chegar até a cura do hipotireoidismo

Possíveis complicações do hipotireoidismo

Com o diagnóstico de hipotireoidismo, o tratamento deve ser iniciado imediatamente, caso contrário, podem ocorrer sérias complicações. Saiba quais:

Bócio

Quanto mais a tireoide estimula a produção de hormônios sem sucesso, mais a glândula se desenvolve, causando o surgimento do bócio, uma condição que dificulta engolir e respirar.

Neuropatia periférica

Danos nos nervos periféricos — nervos que ligam o sistema nervoso central a todos os órgãos do corpo — são consequências de um hipotireoidismo não controlado. Dormência, dor e formigamento nas áreas afetadas (podendo ser as mãos ou pés) são sintomas comuns, além de fraqueza muscular.

Depressão

O hipotireoidismo não tratado também causa problemas psicológicos. Sinais de depressão e dificuldade intelectual são comuns nesses casos.

Mixedema

A sonolência e a intolerância ao frio são sintomas da mixedema, uma condição que também justifica a letargia. É possível entrar em coma, caso a pessoa faça uso de sedativos ou é acometido por uma infecção.

Infertilidade

A falta de fertilidade na mulher pode estar ligada ao baixo nível da produção de hormônios. Ainda que seja feita a reposição hormonal, a fertilidade pode não ser restaurada.

Problemas cardíacos

Com a baixa produção de hormônios, o colesterol pode aumentar. Isso acarreta em um risco muito maior para doenças cardiovasculares.

Complicações congênitas

É de suma importância que crianças nascidas de mulheres que têm hipotireoidismo não tratado, sejam diagnosticadas já nos primeiros meses de vida, a fim de evitar consequências, como atraso no desenvolvimento físico e intelectual.

Você também pode gostar destes conteúdos:

Expectativa

Com o uso adequado do medicamento, os níveis de hormônios tendem a voltar ao normal, entretanto, o paciente pode fazer o tratamento de reposição hormonal para o resto da vida.

Alimentos que devem ser evitados no hipotireoidismo

Como mencionado, alguns alimentos são capazes de impedir a absorção da levotiroxina, o que faz com que os sintomas permaneçam. Segue abaixo uma lista com produtos a serem evitados durante o tratamento.

Alimentos processados

Os alimentos processados são ricos em sódio, o que causa aumento de pressão sanguínea e acarreta problemas, principalmente para quem sofre de hipotireoidismo. Substitua-os por alimentos cozidos ou assados.

Excesso de fibras

Consumir 35 gramas de fibras por dia é o recomendado para uma ingestão moderada. Acima disso, as fibras impedem a absorção de hormônios pelo organismo e piora o quadro da doença.

Glúten

A absorção de medicamentos para o hipotireoidismo é prejudicada quando há consumo de alimentos com glúten. O intestino delgado sofre uma irritação, não absorve os hormônios e ainda provoca desconforto abdominal e cansaço.

Café

A cafeína é prejudicial para quem faz tratamento do hipotireoidismo. O ideal é nunca o tomar no mesmo horário ou em curto período da medicação; prefira tomar café horas depois, por exemplo: se a medicação for pela manhã, tome café apenas à tarde.

Repolho e brócolis

Ambos os vegetais interferem na absorção de iodo, importante para o tratamento da disfunção hormonal.

Alimentos gordurosos

A gordura impede que a tireoide produza mais hormônios, portanto, reduzir o consumo de margarina, maionese, frituras, empanados ou qualquer alimento gorduroso de fast-food contribui para uma melhor absorção de medicamentos hormonais.

Açúcar e álcool

A recomendação é remover o açúcar e o álcool da dieta, pois alimentos açucarados e bebidas alcoólicas têm o poder de comprometer o bom funcionamento da tireoide e reduzir as capacidades metabólicas.

Portanto, invista em uma dieta com alimentos ricos em ômega-3, como peixes, óleo de linhaça e nozes (em menor quantidade) e alimentos com vitamina do grupo B (mariscos, ovos, leite, carnes, legumes, laranja, espinafre, couve e abacate).

Os medicamentos citados neste conteúdo para o hipotireoidismo só devem ser tomados mediante receita médica. Nunca se automedique. Siga as orientações do seu médico e cuide de sua alimentação para obter melhor qualidade de vida e, assim, não sofrer com os incômodos sintomas da falta de hormônios.

Caso este artigo sobre hipotireoidismo tenha lhe ajudado, deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!


5 (100%) 37 votes