Home / Cirurgias / Inseminação Artificial – Como funciona, riscos e cuidados

Inseminação Artificial – Como funciona, riscos e cuidados

A inseminação artificial, é onde os espermatozoides são introduzidos no interior do útero da mulher, a fim de fecundar o óvulo.

Há dois tipos de inseminação artificial, a intracervical e a intrauterina.

Na inseminação artificial intracervical, o esperma é injetado no cérvix através de uma seringa. Esse método reproduz a forma como o esperma é depositado pelo pênis, no cérvix, no momento da ejaculação.

Na inseminação artificial intrauterina, os espermatozoides passam por um tratamento, no qual somente os que estão aptos a fertilizar permanecem. Feito isso, os espermatozoides são depositados diretamente no útero, após a mulher passar por um tratamento que induz a ovulação.

A inseminação artificial intrauterina tem algumas vantagens sobre a inseminação artificial intracervical, porque nesse tipo de inseminação não é necessária a presença de muco cervical, importante para a migração dos espermatozoides até o óvulo.

Na inseminação artificial intrauterina, os espermatozoides são inseridos além do colo do útero, aumentando as chances de fecundação, pois haverá um maior número de espermatozoides aptos na cavidade intrauterina.

inseminação artificial o que é
A inseminação artificial é um procedimento para ajudar mulheres a engravidar

Antes da realização de qualquer método de inseminação artificial, é preciso que haja uma estimulação ovariana na fêmea. Essa ovulação é induzida de forma controlada através de hormônios para evitar a hiperestimulação ovariana e consequente gravidez múltipla.

A taxa de sucesso da inseminação artificial intracervical é de 10% a 15%, e na inseminação artificial intrauterina é de 15% a 20%.

Como funciona a Inseminação artificial

O homem terá que coletar uma porção de sêmen em casa ou no laboratório por meio de masturbação, as amostras são selecionadas em laboratório, separando os espermatozoides de acordo com sua mobilidade e retirando células imaturas e restos celulares. O espermatozoide também pode ser obtido em um banco de sêmen, caso seja necessária uma doação. Já a mulher, terá que tomar medicamentos para indução da ovulação, que podem ser via oral ou via subcutânea através de injeções. Durante a estimulação, são realizadas ultrassonografias seriadas para acompanhamento do crescimento dos folículos (local onde se encontram os óvulos).

Quando os folículos estão prontos, é administrado um medicamento que permite a liberação dos óvulos. No momento em que a mulher estiver ovulando, é marcada a colocação dos espermatozoides dentro do útero. O procedimento médico é realizado em uma clínica de reprodução humana. Durante o processo é inserido um bico de pato na vagina da mulher e depois um cateter bem fino, por onde passam os espermatozoides. O posicionamento do cateter é feito usando um aparelho de ultrassonografia. Os espermatozoides podem ser depositados no colo do útero, no processo chamado inseminação ultracervical, ou mais próximos às trompas, na inseminação intrauterina. Depois de todo esse procedimento, o teste de gravidez é feito com o passar de 12 dias.

Você também pode gostar destes conteúdos:

Etapas da inseminação artificial

Primeiro Passo: Consulta

Na primeira consulta serão solicitados exames que permitirão identificar a causa da infertilidade e sua solução.

A dificuldade de gravidez pode ser solucionada de forma simples, por isso é importante não esperar mais de um ano para procurar um especialista. Lembrando que a solução é uma questão do casal. Ambos devem passar pelo consultório e realizar exames. Durante a consulta se examina os pacientes, antecedentes familiares, índice de massa corporal, reserva ovariana, qualidade do esperma, etc.

Vários exames serão solicitados tanto para a mulher quanto para o homem. O tempo entre marcação, realização e resultados dos exames costumam levar um mês, caso desejem fazer o inseminamento artificial, acontecerá as seguintes etapas:

  • Estimulação ovariana (10 a 12 dias)

Uso de gonadotrofinas exógenas que induzem o desenvolvimento folicular múltiplo. O controle da estimulação no caso da Inseminação Artificial é fundamental para evitar produzir muitos óvulos e evitar o risco de gravidez múltipla.

Durante o período de estimulação são realizadas ultrassonografias (3 a 4) e verificados os níveis de estradiol no sangue para comprovar o crescimento e evolução dos folículos.

  • Indução da ovulação (36 horas)

Ao comprovar por meio de ultrassom que os folículos alcançaram o tamanho adequado a inseminação é programada para aproximadamente 36 horas depois da administração de uma injeção de hCG que induz à maturação do óvulo.

  • Preparação do sêmen (2 horas)

Duas horas antes da inseminação programada é realizada a coleta do sêmen por meio de masturbação e os espermatozoides são preparados em laboratório para melhorar e aumentar o potencial de fecundação ao serem introduzidos no útero materno.

  • Inseminação (14 a 16 dias)

Os espermatozoides capacitados são introduzidos no interior da cavidade uterina com a ajuda de um cateter.

Após esse procedimento o tratamento foi concluído. Então é iniciado a betaespera, que é o tempo de espera para a confirmação da gravidez.

Riscos

Há uma chance de 15% de uma gravidez gemelar. Isso é considerado um risco, pois gestações com mais de um bebê envolvem um maior cuidado pré-natal e normalmente resultam em partos prematuros, que são perigosos tanto para a mãe quanto para o feto.

Outro risco é a Síndrome da Hiperestimulação do Ovário (SHO), quando há uma produção maior do hormônio estradiol, sintetizado nos ovários, o que aumenta o inchaço e as chances da mulher ter trombose durante a gravidez. Porém esse risco é menos frequente na inseminação, pois é um tratamento que utiliza doses baixas de hormônios na maior parte dos casos.

Cuidados após a inseminação artificial

  • O casal deverá fazer uma série de exames antes do tratamento para afastar outras doenças que comprometam o sucesso da técnica.
  • Após a realização da inseminação, enquanto aguarda o resultado, recomenda-se que o casal evite relações sexuais.
  • Recomenda-se ainda que o casal mantenha hábitos saudáveis de vida e que a paciente use regularmente as medicações prescritas pelo médico.

Durante o período de descanso você pode sentir-se como se estivesse prestes à menstruar, podem ocorrer cólicas, inchaço abdominal, fadiga e inchaço das dos seios. Pequenos sangramentos ou manchas avermelhadas podem ocorrer também. Tais sintomas podem causar preocupação, mas eles são comuns e não confirmam se a paciente está ou não grávida.

É importante salientar que se os sintomas incluírem inchaço excessivo, dores no peito ou abdômen e falta de ar, pode ser o caso de síndrome de hiperestimulação dos ovários, e a paciente deve procurar o seu médico rapidamente.

Também é recomendado repouso relativo nos dois primeiros dias. Pode andar, ir ao banheiro, sentar, sem problemas. Mas é importante que a paciente fique em paz e não se sinta culpada de fazer atividades nesses dois primeiros dias. Após esses dois dias a vida segue normal, mas deve-se evitar atividades físicas e relações sexuais, para prevenir a contração uterina que pode prejudicar a implantação.

Qual a diferença entre inseminação artificial e a fertilização In Vitro

A fertilização in vitro (conhecida como FIV), induz uma produção múltipla de óvulos da mulher com altas doses de hormônios. Em seguida, os óvulos são colhidos em uma clínica (sob anestesia) antes da ovulação propriamente dita ocorrer e fertilizados em laboratório com os espermatozoides selecionados.

inseminação artificial resultado
A inseminação artificial tem uma taxa de sucesso de até 90%, deixando grande parte das pessoas satisfeitas com este procedimento

Alguns dias depois é feita a transferência de embriões para a cavidade uterina. Este é um tratamento que obtém taxas de sucesso em torno de 40 por cento, dependendo da idade da mulher.

É indicada para:

  • Pacientes que tenham realizado tratamentos como a Inseminação Artificial, sem sucesso.
  • Mulheres com ausência de trompas ou lesões tubárias que impedem a fecundação natural ou por inseminação artificial.
  • Mulheres com endometriose avançada ou profunda, com provável repercussão nas trompas e na qualidade dos óvulos.
  • Situações nas quais dispomos de um número limitado de óvulos.
  • Casos de fator masculino severo

 

Gostou deste artigo sobre inseminação artificial? Então deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!

 


About Portal Universo da Saúde

Universo da Saúde - Um portal com conteúdos de qualidade sobre saúde, doença, causas, tratamentos, remédios caseiros e cuidados. Aproveite nossos conteúdos gratuitos e tome cuidado com a sua saúde.

Check Also

cirurgia plástica

Cirurgia plástica – Veja as cirurgias mais realizadas atualmente

Muitas são as pessoas que querem fazer algum tipo de cirurgia plástica em alguma parte …

One comment

  1. milagre da gravidez

    Nossa! Quanta informação de qualidade nesse site. Parabéns e sucesso