Pílula do dia seguinte- O que é, quando tomar, como funciona e dicas

Você certamente já ouviu falar sobre a pílula do dia seguinte, mas sabe como ela funciona?! A princípio todo mundo sabe a serventia principal, mas ainda assim existem muitas dúvidas e mitos a respeito desse medicamento.

Como por exemplo, a dúvida a respeito se pílula do dia seguinte aborta, relação usual feita entre a ingestão e a impossibilidade da gravidez, quando na verdade a pílula age de outra forma e não como abortivo, como algumas pessoas podem pensar.

Por isso preparamos esse conteúdo muito detalhado com base na bula da pílula do dia seguinte e como funciona. Além disso, tratamos de tópicos importantes e muitas vezes ignorados como suas contraindicações, riscos e efeitos colaterais, muito mais comuns do que se pode imaginar.

Para muitos a pílula do dia seguinte não se trata do melhor método contraceptivo, no entanto em determinado momento se fazem necessárias e podem resolver uma situação derivada de um acidente ou um descuido. É importante entender como funciona todo o processo. Boa leitura!

O que é?

A pílula do dia seguinte é um dos métodos contraceptivos mais usados populares, embora em comparação aos outros métodos como o preservativo, não apresente a regularidade do uso, sendo conhecida como contraceptivo de emergência.

Como método contraceptivo de emergência, devemos entender que a pílula do dia seguinte é o tipo de medicamento que deve ser utilizado somente em casos muito específicos, sem exageros ou superdosagem.

Como o próprio nome sugere, ela funciona para o uso após a relação sexual, em casos onde não se utiliza o preservativo, por exemplo. Funcionando por um período de até 72 horas para ser utilizada.

No entanto, é importante entender que quanto mais cedo a pílula é tomada, maior é a chance de uma boa eficácia no seu uso. Quando utilizada logo após a relação sexual, tem uma porcentagem de eficácia muito maior do que a ingestão no terceiro dia, por exemplo.

pílula do dia seguinte
Algumas pílulas possuem dose única em sua dosagem

Nem sempre a pílula é utilizada somente em casos de relações sexuais desprotegidas, mas também em relações onde há desconfiança da eficácia do preservativo pelos mais diferentes motivos.

Em casos onde por algum motivo há contato entre o líquido seminal e a vagina, mesmo após a relação, ou qualquer tipo de rompimento do preservativo masculino ou feminino e haja o risco eminente da gravidez, utiliza-se a pílula do dia seguinte.

Quando tomar?

Existem muitas controvérsias a respeito da utilização da pílula do dia seguinte, além de muitas dúvidas e mitos ao seu respeito que acabam dificultando todo o entendimento geral da coisa.

A verdade é que obviamente, como todos sabem, a medicação deve ser ingerida o mais rápido possível após a relação sexual desprotegida ou que possa trazer algum risco devido a algum problema ou contratempo durante o processo.

Logo, utilizando a pílula num prazo de 24 horas, por exemplo, sua eficácia é de quase 90%. No entanto, um prazo maior que esse não excluiu suas possibilidades de funcionamento, tendo a capacidade de até 72 horas após a relação sexual para agir.

Algumas pílulas funcionam com ação em até 72 horas (três dias) e outras de até cinco dias, é importante que você leia a bula da pílula do dia seguinte em questão.

Lembrando sempre que esses casos não podem ser rotineiros e sim emergenciais, como a própria pílula do dia seguinte sugere. Caso contrário, os efeitos colaterais se apresentarão bem presentes.

Como usar?

A pílula pode ser encontrada em caixas com dois comprimidos de 0,75 mg onde se recomenda a dosagem com diferença de doze horas entre as ingestões, ou caixas de apenas um comprimido de 1,5 mg que são dose única.

Existem também algumas marcas do mesmo medicamento que apresentam dosagem maior em um único comprimido e isso deve ser observado e estudado atentamente antes da utilização.

Nesse caso, recomenda-se à consulta médica para o auxílio do melhor medicamento a ser ingerido, exclusivamente para você, de acordo com seu organismo e até mesmo com possíveis relações que ele poderia sofrer.

Pode parecer surreal procurar um médico num momento onde qualquer tempo perdido parece irrecuperável.  No entanto, qualquer orientação médica não será perda de tempo se te ajudar a entender qual é o melhor tipo de pílula seguinte existente.

Se considerarmos a funcionalidade da pílula e a força que tem sua composição, podemos entender o quanto ela tem resistência e representa força em sua fórmula, portanto a ingestão indevida pode acarretar inúmeros problemas.

Como funciona?

É muito comum que se imagine inicialmente que a pílula do dia seguinte funcione como um abortivo, não é nada anormal de se pensar quando se faz uma relação entre tomar um medicamento quando há a possibilidade de gravidez e não engravidar.

No entanto, não há o que confirme que o mito de que pílula do dia seguinte aborta, uma vez que ela é utilizada em um fim completamente oposto, agindo na inibição da ovulação e não exatamente no espermatozoide.

Funcionando exatamente como qualquer outro contraceptivo, segundo a bula da pílula do dia seguinte protege o óvulo através da sua ovulação, de modo que a fertilização não ocorra.

Desse modo, a pílula do dia seguinte é como um preservativo tardio no período de horas reduzido após a relação sexual que apresente algum risco.

Contraindicações

As contraindicações segundo a bula da pílula do dia seguinte se dão quase que em sua maioria em relação a sua dosagem e sua utilização, justamente por isso é que se faz muito importante todo e qualquer acompanhamento médico.

Com o auxílio do seu médico de confiança, você terá a segurança de que está tomando a composição e marca de pílula correta, tendo cada vez menos problemas em relação a sua ingestão.

Não é incomum, por exemplo, que entre as duas doses do medicamento ocorram efeitos colaterais como vômito, e outros que falaremos a seguir, onde se recomenda após a eliminação de tudo no vômito a ingestão de outro medicamento.

É para esse tipo de caso que se faz importante o auxílio médico que permita a ingestão de outro medicamento no lugar.

Outra contraindicação é a utilização demasiada da pílula por descuidos que podem ser evitados, como a utilização de preservativos com responsabilidade e de modo adequado.

Você também pode gostar destes conteúdos:

Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais da pílula do dia seguinte não são poucos e tendem a ser muito incômodos em alguns casos de hiperdosagem ou até mesmo de adaptação do organismo às suas ações.

Entre os efeitos mais conhecidos estão as náuseas que podem ser seguidas de vômito e uma completa e imediata sensação de enjoo. Em alguns casos o medicamento é expelido no próprio vômito, de modo que deva ser ingerido novamente.

Dores de cabeça também são comuns, assim como dores no corpo, causando uma sensação de enorme mal-estar e até mesmo fadiga. As sensações são muito semelhantes a um estado febril, por exemplo, porém suportáveis.

Também é comum que após a ingestão da pílula o fluxo da menstruação também se altere um pouco, em alguns casos até mesmo a atrasando e despadronizando.

Assim como as náuseas seguida de vômito, a diarreia também é um possível efeito colateral da pílula do dia seguinte, nada impede na verdade que todos os sintomas se deem de forma concomitante, acontecendo ao mesmo tempo.

Caso os sintomas se apresentem de forma muito incomoda, que você considere estar além do normal, entre em contato com seu médico o mais rápido possível.

Cuidados

Os cuidados segundo a bula da pílula do dia seguinte se dão em relação ao entendimento da sua funcionalidade contraceptiva. A pílula é única e exclusivamente um método emergencial, feito para ser utilizado em casos pontuais.

O que acontece em muitos casos são pessoas que a utilizam sem qualquer responsabilidade como aval para descuidos que podem ser evitados, sabendo que a mesma sempre estará lá para resolver a questão.

Algumas pessoas utilizam-se sempre da pílula do dia seguinte, tendo até o hábito de compra-la antes mesmo de qualquer relação, já prevendo o não uso do preservativo o que configura um comportamento totalmente irresponsável.

Até por que a utilização da pílula pode ser um método contraceptivo eficaz, mas não previne doenças sexualmente transmissíveis como o preservativo consegue, por exemplo. Muitas pessoas a utilizam sem preocupação e esquecem desse fato muito importante.

Dicas

Entre as dicas a respeito de como tomar pílula do dia seguinte é sempre fazer isso em casos onde realmente se precise de modo a não bombardear o seu organismo com essa fórmula sempre que achar conveniente.

pílula do dia seguinte
A pílula do dia seguinte não previne contra doenças sexualmente transmissíveis, não esqueça de usar camisinha durante a relação sexual.

Além disso, recomenda-se a utilização da pílula o mais rápido possível após a relação, sabendo que ela será mais eficaz quanto mais cedo for ingerida. Por mais que em alguns momentos o período em que se toma a pílula seja preocupante, deve-se tomar com cuidado.

Portanto, é preciso manter a calma sempre diante do caso e tomar o medicamento com responsabilidade, de modo a esperar sua ação e respeitar até mesmo algum efeito que ele pode trazer consigo.

O importante é que a pílula do dia seguinte é um método de muito sucesso se bem aplicada.

Gostou deste artigo sobre pílula do dia seguinte? Então deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!

5 (100%) 71 votes