Home / Uncategorized / Queda de cabelo: Principais causas e Receitas Caseiras.

Queda de cabelo: Principais causas e Receitas Caseiras.

Cerca de grande parte da população, tanto feminina quanto masculina, sofre de queda de cabelo ou calvície,que não é em si uma doença, mas sim um sintoma que pode agredir não só o couro cabeludo, como também outras partes do corpo, por causa disso, a maioria das pessoas acaba entrando em depressão e muitas vezes sentem até vergonha de sair nas ruas.

Existem vários motivos para a queda de cabelo, por isso, é importante saber diferenciar da calvície ou alopecia androgenética (Perda permanente de cabelo do couro cabeludo, essa doença não tem cura e atinge cerca de 70% da população masculina).

Para entender melhor o porque de ocorrer a queda de cabelo veja abaixo os motivos, as causas e tratamentos para resolver esse problema:

Causas

1. Síndrome metabólica

A síndrome metabólica é uma doença cuja pressão arterial pode variar entre alta ou baixa,também pode haver um grande nível elevado de açúcar no sangue, excesso de gordura corporal em torno da cintura, e níveis de colesterol anormais. A síndrome aumenta o risco de uma pessoa ter ataque cardíaco e acidentes vasculares cerebrais,a maioria dos distúrbios associados à síndrome metabólica não apresenta sintomas.
Perder peso, praticar exercícios físicos,manter uma dieta saudável e abandonar o cigarro podem ajudar á retardar a doença. Ao adquirir o diagnóstico médico, o paciente pode fazer o tratamento para ajudar, porém, essa doença não tem cura. Para saber se você tem a Síndrome metabólica, veja abaixo se você tem alguns desses critérios:

  • Obesidade central – circunferência da cintura superior a 88 cm na mulher e 102 cm no homem;
  • Hipertensão Arterial – pressão arterial sistólica ³ 130 e/ou pressão arterial diatólica ³ 85 mmHg;
  • Glicemia alterada (glicemia ³110 mg/dl) ou diagnóstico de Diabetes;
  • Triglicerídeos ³ 150 mg/dl;
  • HDL colesterol £ 40 mg/dl em homens e £50 mg/dl em mulheres.

2. Cigarro

Além do cigarro trazer inúmeras doenças, fumar cigarro por muito tempo acaba tornando as pessoas sensíveis as suas substâncias tóxicas, fazendo assim com que se enfraqueça o couro cabeludo, causando a perda de cabelo.

cigarro queda de cabelo
Cigarro pode causar queda de cabelo com mais frequência do que outras doenças

3. Anemia

A deficiência de ferro e a falta desse mineral leva a uma queda na concentração de hemoglobina (proteína presente em células do sangue que é fundamental para o transporte de oxigênio). Dando ao nome de anemia, que aflige cerca de 30% da população mundial. Além de causar cansaço e palidez, faz com que a falta de oxigênio tire a resistência dos fios.

4. Problemas intestinais

O ferro, o zinco, o cobre e as proteínas, ajudam a manter a beleza e firmeza dos fios. A questão é que de pouco adianta adotar uma alimentação balanceada se o aparelho digestivo não consegue absorver as substâncias benéficas vindas da comida. É o que ocorre nas doenças inflamatórias intestinais, em especial na de Crohn ( Doença intestinal inflamatória e crônica que afeta o revestimento do trato digestivo).

5. Doença renal crônica

Quando os rins não conseguem filtrar o sangue direito, alguns dos mais variados sintomas começam a aparecer, sendo eles: dores de cabeça, náuseas, câimbras, inchaço e calvície. Um estudo revelou que, de 365 vítimas da doença renal crônica, 41,4% exibiam falhas no revestimento do cocuruto. As limitações alimentares decorrentes do quadro seriam um motivo. Vale destacar que dificilmente a insuficiência dos rins sera o indício inicial para a calvície.

6. Sífilis

Em seis anos, o número de casos dessa infecção sexualmente transmissível cresceu 60,3% no estado de São Paulo. Há descobertas de que a bactéria Treponema pallidum gera feridas nos órgãos sexuais logo após invadir seu organismo, passadas algumas semanas ela pode suscitar manchas na pele e queda de cabelo. A alopecia (Perda de cabelo ou de pelos de outras parte do corpo) não é uma consequência frequente da sífilis.

7. Micose

Os fungos, além das unhas, se atingirem o topo da cabeça podem gerar uma descamação que tira a estabilidade dos fios, deixando a área oleosa e favorecendo a calvície, isso acaba acontecendo pois o sistema do sujeito está fraco, seja por uma gripe ou uma doença como a aids.

8. Ovário policístico

Por causa do excesso de hormônios masculinos nas mulheres,elas acabam sofrendo de formação de cistos nos ovários. O excesso da substância ainda desencadeia acne, crescimento de pelos no corpo e ciclo menstrual irregular, esses sintomas tendem a ser notados antes da queda de cabelo, estima-se que 20% da população feminina em fase reprodutiva sofrem desse distúrbio. Outros sintomas também incluem:  Menor freqüência de ovulação e dificuldade para engravidar,doenças cardiovasculares como diabetes tipo 2 e obesidade. Para saber se há excesso de hormônios masculinos, os sinais observados são:

  • Crescimento anormal de pelos nas regiões do baixo ventre, seios, queixo e buço;
  • Aumento da oleosidade da pele e aparecimento de espinhas e cravos;
  • Queda de cabelos;
  • Aumento do peso;
  • Manchas na pele, principalmente nas axilas e atrás do pescoço.

Para obter o diagnóstico, é preciso uma avaliação médica completa que exclua como problemas a tireoide ou a glândula supra-renal. O exame de ultrassom isolado não é suficiente para fornecer o diagnóstico acertado da Síndrome. Para saber as causas da irregularidade menstrual ou das manifestações androgênicas, os médicos costumam pedir os seguintes exames:

  • Dosagem dos hormônios FSH, LH, Estradiol, TSH, S-DHE, Testosterona total, 17-OH progesterona (entre o 2º e 3º dias do ciclo menstrual)
  • Curva de insulina associada à curva de glicemia.
  • Ultrassom pélvico.

O tratamento: pode ser controlado por medicamentos. Variando de acordo com o quadro de sintomas da paciente e suas complicações. Com a utilização de anticoncepcionais como pílulas, anéis vaginais e implantes, acaba protegendo os ovários contra a formação dos microcistos e diminui os níveis de hormônios masculinos.

9. Disfunções da tireoide

A queda de cabelo é uma complicação muito comum em quem tem baixa produção dos hormônios da tireoide, pois essa doença causa o crescimento lento dos cabelos, com fios finos e secos. há dois tipo de tireoide: o hipotireoidismo (condição em que a tireoide age mais lentamente) e o hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios).

O hipotireoidismo causa:

  • Queda de cabelo mais acentuada;
  • Pele seca;
  • Problemas menstruais;
  • Diminuição da libido;
  • Depressão;
  • Cansaço excessivo;
  • Diminuição da frequência cardíaca;
  • Intolerância ao frio;
  • Aumento de peso;

Atinge tanto homens quanto mulheres de diversas idades, porém há um grupo que é mais vulnerável, sendo eles:

– Mulheres, especialmente acima dos 40 anos
– Homens acima dos 65 anos
– Pacientes em radioterapia de cabeça e pescoço
– Pessoas que já tiveram problemas de tireoide
– Usuários de lítio (estabilizador de humor) ou amiodarona (contra arritmia cardíaca)
– Indivíduos com histórico familiar de doenças autoimunes, etc.

O tratamento de queda de cabelo deve ser realizado juntamente ao problema de tireóide, com acompanhamento profissional e reposição de hormônios.

Para tratar a perda de cabelo causada pela tireoide, existe um diagnóstico de hipotireoidismo, o tratamento deve ser realizado com acompanhamento médico, que auxiliará você a:

  • Reconhecer a disfunção;
  • Realizar exames regulares para acertar as doses de hormônios e manter o controle do problema
  • Cuidar melhor da alimentação;
  • Tomar vitaminas adequadas que fornecem nutrientes ideais aos cabelos, para que estes cresçam fortes, saudáveis e com mais brilho;

O sintoma deve desaparecer no máximo após o terceiro mês de tratamento médico da disfunção. Caso isso não aconteça, o médico deve ser novamente procurado, para ajustar as doses de hormônios e analisar o problema mais a fundo.

Fazendo o tratamento adequado, a pessoa diagnosticada com hipotireoidismo ou hipertireoidismo consegue levar uma vida sem maiores complicações.

O hipertireoidismo, faz com que a pessoa comece a sentir:

  • Nervosismo
  • Irritabilidade
  • Hiperatividade
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Palpitações
  • Taquicardia
  • Insônia
  • Intolerância ao calor
  • Perda de peso
  • Diarreia
  • Irregularidade menstrual
  • Queda de cabelo.

É recomendado fazer um acompanhamento a cada 6 meses para avaliação da dosagem dos hormônios.

10. Estresse crônico

Situações estressantes prolongadas e intensas, podem se tornar crônica, levando à perda dos cabelos.

Além disso, outros aspectos contribuem para agravar o quadro de queda de cabelo por estresse.

Uma rotina estressante geralmente é acompanhada por práticas não saudáveis, como de dietas não balanceadas, falta de exercícios físicos e aumento do consumo de cigarros.

Diversos sintomas podem surgir por causa de estresse e esgotamento, sendo eles:

  • Tonturas
  • Variações bruscas na pressão sanguínea
  • Boca seca
  • Pele ressecada
  • Dores nas articulações
  • Dores na cabeça
  • Desejo por alimentos doces e gordurosos
  • Ganho de peso

Isso acontece como resultado de desafios da vida, como por exemplo, trabalhar e estudar longas horas sem descanso ou cuidar de um familiar doente.

O estresse, quando torna-se crônico, acaba fazendo o indivíduo experimentar esgotamento físico e mental.

11. Doenças autoimunes

As maiores causas de queda de cabelo são os traumatismos, queimaduras químicas ou físicas e exposições a agentes radioativos usados como finalidade terapêutica. Também ocorre a partir de doenças como tuberculose, linfomas, tumores, lúpus, herpes zoster, leishmaniose. Abaixo estarão as principais doenças que causam a queda de cabelo, tanto feminino quanto masculino:

  • Câncer (quando há necessidade de tratamentos quimioterápicos e radioterápicos)
  • Alopecia androgenética
  • Hipertireoidismo
  • Hipotireoidismo
  • Foliculite
  • Sífilis
  • Alterações de peso
  • Obesidade
  • Doenças autoimunes
  • Super vitaminose de qualquer vitamina
  • Síndrome dos ovários policísticos
  • Hipersensibilidade à testosterona
  • Retinoides

A calvície também pode ser hereditária.

Tratamentos

Para resolver esse problema, há muitos tratamentos, principalmente caseiros, sendo eles:

1. Leite de coco contra a queda de cabelo

O leite de coco pode beneficiar cabelos e pele, pois tem vitamina A, C, B1, B2, B5, ácido láurico que combate fungos, bactérias e infecções. O leite de coco também é rico em sais minerais, como ferro, cálcio, silício, enxofre, magnésio e fósforo, fortalecendo assim cabelos danificados, secos e oleosos. Uma receita caseira para diminuir a queda de cabelo, fortalecer e dar brilho é massagear a raiz do cabelo com leite de coco.

leite de coco para queda de cabelo
Leite de coco pode ser um bom tratamento para queda de cabelo

2. Aloe vera

A planta possui diversas propriedades, entre elas a Vitamina A, C e D, que são as melhores vitaminas para o crescimento capilar e para o rejuvenescimento da pele. Receita caseira de Aloe Vera com leite de coco:

Ingredientes
3 colheres de sopa de gel de aloe vera (45g)
2 colheres de sopa de óleo de coco (30g)

Preparo
Coloque o gel de aloe vera em um recipiente e misture-o com o óleo de coco até obter um produto homogêneo. Separe o cabelo em várias mechas e aplique o tratamento das raízes até as pontas. Cubra a cabeça com uma touca de banho e deixe agir durante uma hora. Enxágue como de costume e use até duas vezes por semana.

3. Vitamina E

É uma fonte poderosa contra o envelhecimento, pois ajuda a reverter a queda de cabelo e a trazer os cabelos brancos á cor original. São fontes de vitamina E: nozes, feijões, sementes e óleo vegetal.

4. Sementes de feno-grego

Feno grego, mais conhecido como afarva, Pode ser utilizado para tratar anemia, anorexia, celulite, problemas de desenvolvimento infantil, gastrite, inflamações, intestino preso, furúnculos, caspa e queda de cabelo.

Coloque várias sementes de feno-grego em 1 copo de água e as amasse. Em seguida, coloque-as em um pano limpo e quente.

As pílulas do feno-grego devem ser consumidas com água. A quantidade recomendada vai de 2-3 cápsulas, 3 vezes por dia, à 6-12 cápsulas por dia.

5. Azeite de oliva

Rico em vitaminas que fortificam a saúde do corpo, contém vitamina A, D, K e E, um poderoso antioxidante que combate os radicais livres, atua em inúmeros benefícios para a saúde, como por exemplo, no sistema digestivo e age também na redução do ácido gástrico, previne a formação de cálculos biliares , absorve os nutrientes e facilita o movimento do intestino.

Receita caseira com o azeite de Oliva:

Se seu cabelo for pouco oleoso, umedeça-os com o azeite de oliva, deixe 30 minutos, lave bem com um shampoo anti-resíduos.

Caso seu cabelo seja muito oleoso, misture então uma colher de azeite de oliva mais três colheres de uma máscara de hidratação de sua preferência e aplique no comprimento, sem esfregar no couro cabeludo por 30 minutos. É importante que você não passe na raiz se o seu cabelo for oleoso.

Essa receita ajuda seu cabelo a ficar bem hidratado e reduz a queda de cabelo.

6. Abacate

O abacate é rico em vitaminas A, E e K, fibras diuréticas solúveis e insolúveis, minerais como ferro, cobre, magnésio e manganês. Também é fonte de ácidos graxos monoinsaturados, como os ácidos oleico e palmitoleico, bem como o ácidos graxos poli-insaturados ômega 6, ácido linoleico. Além de trazer beleza para seu cabelo, trás também para sua pele.

Uma das receitas para tratamento caseiro é a máscara de abacate, que pode ser feita com muita facilidade.

Primeiro abra a fruta de tamanho médio, cortando-a ao meio e removendo o caroço com uma colher, retire a polpa e coloque no liquidificador. Em seguida, adicione algumas gotas de azeite de oliva extra virgem e um pouco de água só para bater com mais facilidade no liquidificador, a quantidade de água deve ser o mínimo possível para que fique como um creme.

Após bater, aplique a máscara de abacate no cabelo, cubra com saquinho plástico e deixe agir por, no mínimo, 30 minutos, depois lave normalmente. Se usar touca térmica, o tempo pode ser reduzido para entre 10 a 15 minutos.

Faça essa aplicação uma vez por semana se pretende apenas fortalecer e reduzir o ressecamento, pois é indicada para cabelos secos que, em geral, são os mais sensíveis. Para combater a queda de cabelo, repita a aplicação duas vezes na semana para ter um tratamento mais eficaz.

Caso este artigo sobre queda de cabelo tenha lhe ajudado, deixe um comentário e curta O universo da saúde no Facebook!


Veja!

emulsão scott

Emulsão Scott – O que é, para que serve benefícios e preço

A Emulsão Scott é o conhecido óleo de bacalhau, uma receita do tempo de nossos …