Sibutramina

A sibutramina é um medicamento indicado para o tratamento da obesidade ou em casos em que a perda de peso é clinicamente recomendada. Deve ser administrado em associação a uma dieta hipocalórica e a prática de atividade física. Normalmente, o medicamento é usado como um auxiliador para situações que apenas a dieta e exercícios não são eficientes.

A sibutramina deve ser tomada somente com prescrição médica, pois a sua ingestão de forma indevida é capaz de sibutraminacausar efeitos colaterais como paralisia, delírio, hipertensão, taquicardia, boca seca e modificação do paladar.

Inicialmente, a sibutramina foi criada para ser usada como antidepressivo, isso aconteceu no final de 1980. No entanto, através de estudos foi identificado que essa substância poderia diminuir o apetite. Após essa descoberta este fármaco passou a ser vendido como o nome de Meridia e no ano de 1999 foi nomeado como Reductil.

Indicações da Sibutramina

O uso da sibutramina é indicado após uma avaliação médica da condição clínica do paciente, se houver a necessidade o médico recomendará para a redução de peso, no tratamento da obesidade etc. Além da administração do remédio algumas ações deverão ser tomadas como a dieta e exercícios.

Toda a orientação sobre a reeducação alimentar e formas de atividades físicas serão passadas pelo médico durante a consulta, devendo o paciente tirar as dúvidas e realizar o tratamento de forma criteriosa para atingir os resultados esperados.

O parâmetro utilizado para indicar ou não o medicamento para determinado paciente é o seu IMC maior ou igual a 30 kg/m2, ou maior ou igual a 27 kg/m2 relacionado a fatores de risco como diabetes, hipertensão e dislipidemia.

Como Funciona o Sibutramina – Efeitos

A sibutramina é um fármaco de uso oral para o tratamento da obesidade, ele é responsável por reduzir o peso corporal por meio de um duplo mecanismo, sendo o primeiro a diminuição da ingestão de alimentos, possibilitando ao corpo uma sensação de saciedade e redução da fome, e segundo a prevenção da queda do gasto energético que surge por meio da perda de peso.

Como a sibutramina faz parte de um programa de redução de peso, a sua administração precisa ser monitorada por um profissional médico, devendo ser seguido por uma dieta que propõe a redução de calorias e a realização correta de exercícios.

Devido as especificidades de cada organismo reagir o tratamento também poderá apresentar resultados variados se feita uma comparação entre pacientes que estão fazendo uso do mesmo medicamento.

Se ocorrer variações do retorno inicial aguardado, o médico deverá ser informado para que seja feita uma reavaliação do caso. Se necessário, algumas opções podem ser sugeridas como o aumento ou a diminuição da dose de sibutramina.

Normalmente é aguardado o efeito terapêutico deste fármaco por no mínimo 15 dias.

Contraindicações do uso do sibutramina

É muito importante consultar e tomar a sibutramina apenas conforme a indicação médica, pois além dos possíveis efeitos adversos, ela também apresenta algumas contraindicações:

  • Pessoas com alergia a sibutramina ou a qualquer um dos componentes usados para a formulação do medicamento;
  • Pacientes que estejam usando IMAO;
  • Indivíduos com histórico de anorexia nervosa ou bulimia;
  • Mulheres que estejam amamentando;
  • Mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Pessoas que possua hipertensão sem sucesso no controle medicamentoso;
  • No caso da obesidade está relacionada à presença ou antecedentes pessoais de patologia cardiovascular e cerebrovascular;
  • Indivíduos usando inibidores da monoaminoxidase;
  • Pessoas utilizando outros remédios supressores do apetite de ação central;
  • Pacientes com diabetes mellitus tipo 2, que apresentam sobrepeso ou obesidade e tenha a associação de outros fatores de risco para o surgimento de patologias cardiovasculares.

Precauções antes do uso do medicamento

Antes de tomar a sibutramina o paciente deve verificar as precauções e advertência envolvendo o medicamento. Algumas delas são:

  • Caso o paciente esteja tomando algum remédio, este deverá ser informado ao médico;
  • Se o indivíduo possui alguma doença ou problema de saúde, durante a consulta precisará informar ao profissional médico sobre o seu caso;
  • Não se deve dirigir veículos ou operar máquinas no período do tratamento com sibutramina, pois a habilidade e atenção podem ser afetadas;
  • Este medicamento não deve ser usado por pacientes que tenham insuficiência renal grave, incluindo pacientes em estágio avançado e que realizam diálise;
  • Ainda não existem estudos que comprovem a segurança e eficácia da sibutramina em crianças com idade inferior a 16 anos;
  • Não é indicado o consumo de bebidas alcoólicas com sibutramina;
  • Não é orientada a administração associada de sibutramina com inibidores da monoaminooxidase (IMAOs);
  • Alterações reversíveis de enzimas hepáticas foram identificadas nos testes em laboratórios;
  • Se a alimentação for feita junto com esse medicamento, este não terá a sua eficácia modificada;
  • O uso da sibutramina deve ser feito somente por via oral;
  • Esse fármaco é contraindicado para pacientes com idade menor que 16 anos;
  • A sibutramina não deve ser administrada em mulheres grávidas ou lactantes sem o consentimento do médico ou cirurgião-dentista;
  • O medicamento deve ser mantido em sua embalagem original;
  • A sibutramina deve ser armazenada em local com temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC) e protegido de umidade;
  • Nenhum remédio pode ser tomado fora do prazo de validade;
  • O número do lote, data de fabricação e validade, são informados na embalagem do medicamento;
  • Todo fármaco precisa ser mantido longe do alcance de crianças.

Como tomar a sibutramina

O médico indicará a dose necessária para cada paciente e o tempo do tratamento. Normalmente, a dosagem inicial de sibutramina recomendada é de 1 cápsula (10 mg) ao dia, devendo ser tomada no período da manhã, com ou sem alimentação.

Caso o indivíduo não apresente uma perda mínima de 2 kg nas primeiras 4 semanas em que esteja realizando o tratamento, o profissional médico deverá analisar a possibilidade de uma reavaliação do tratamento, nesta situação será possível aumentar a dose para 15 mg ou suspender o medicamento.

Quanto à titulação da dose, consideram-se os parâmetros de diversificação da frequência cardíaca e da pressão arterial Não é recomendado a ingestão de doses maiores que 15 mg diária.

Estudos afirmam que o consumo da sibutramina é seguro e efetivo em um período de até 24 meses. Se a dose for esquecida, a cápsula deverá ser tomada em outro horário no mesmo dia, o que não acarretará prejuízo ao tratamento.

Superdosagem

Índices que apontem casos de superdosagem com a sibutramina são limitados.

Se a sibutramina for tomada em uma dosagem elevada é possível que surjam alguns efeitos adversos como a taquicardia, cefaleia, tontura e hipertensão. Caso isto ocorra o atendimento médico deverá ser procurado.

Efeitos colaterais do uso da Sibutramina

A sibutramina é capaz de provocar alguns efeitos colaterais, por isso o paciente deve seguir todas as instruções dadas pelo médico. As reações adversas podem envolver:

  • Taquicardia;
  • Delírio;
  • Aumento de pressão;
  • Vasodilatação;
  • Palpitações;
  • Xerostomia;
  • Constipação;
  • Dor de cabeça;
  • Parestesia;
  • Insônia;
  • Lombalgia;
  • Dispepsia;
  • Náusea;
  • Sudorese;
  • Dismenorréia;
  • Modificação do paladar;
  • Alterações visuais;
  • Infecção de ouvido;
  • Sinusite;

Gostou do conteúdo sobre o medicamento sibutramina? Deixe seu comentário e curta nossa página do Facebook.

Rate this post