Taquicardia ventricular

A Taquicardia ventricular é uma condição na qual as câmaras inferiores do coração batem de forma acelerada, o nome desse sintoma é sugestivo, pois ocorre nos ventrículos e com a sua evolução pode ser conhecido como fibrilação ventricular.

Tanto a taquicardia ventricular quanto a fibrilação ventricular pode levar uma pessoa a morte súbita, pois causa um ataque no coração de forma violenta, tendo início na parte inferior do órgão, mais especificamente nos ventrículos. Com isso, os batimentos do coração vão à mais de 100 ou 120 batimentos por minuto, o normal de batidas de um coração adulto é de 70 a 80 bpm, um ritmo, além disso, pode trazer sérias consequências.

A Taquicardia ventricular deve ser tratada e acompanhada periodicamente para evitar que a condição do indivíduo piore e eleve a situação para uma fibrilação ventricular, o que seria fatal, pois o coração deixa de bombear sangue devido aos rápidos batimentos e isso pode causar um ataque cardíaco e morte súbita.

Existem alguns tipos específicos de Taquicardia ventricular, abaixo estão algumas delas e suas descrições:

Taquicardia ventricular sustentada

A Taquicardia ventricular sustentada, também conhecida pela sigla TVS, é responsável por aproximadamente 10% das internações por arritmia 1.

Em termos mais complexos, a Taquicardia ventricular Sustentada pode também ser definida como ritmos acelerados com duração maior ou igual a 30 segundos, ou então, que tenha comprometimento hemodinâmico, isso mesmo que em menos de 30 segundos. A Taquicardia ventricular Sustentada pode ser monomórfica ou polimórfica.

  • Taquicardia ventricular Sustentada Monomórfica

Em referência aos corações em estado normal de funcionamento, a Taquicardia ventricular Sustentada Monomórfica está diretamente ligada à Taquicardia ventricular denominada idiopáticas, referente à saída dos ventrículos lado direito e lado esquerdo e também à Taquicardia ventricular fasciculares do Verapamil sensível.

Geralmente, nessas ocasiões não há risco de morte súbita. Já nas Taquicardia ventricular Monomórfica Sustentável, quando associada à cardiopatia estrutural e isquêmica, pode ocasionar um grave repercussão hemodinâmica e, consequentemente, a morte súbita.

  • Taquicardia ventricular Sustentada Polimórfica

A Taquicardia ventricular Sustentada Polimórfica está ligada a uma isquemia miocárdica e também a doenças genéticas referente aos canais iônicos, próarritmia e também às doenças como, por exemplo: cardiomiopatias hipertrófica e dilatada e displasia do ventrículo direito.

Taquicardia ventricular não sustentada

A Taquicardia ventricular não sustentada se caracteriza por 3 ou mais complexos ventriculares, que estejam com frequência superior a 100 batimentos por minuto e com duração inferior a 30 segundos. Também pode ser separada como monomórfica ou como polimórfica.

Taquicardia ventricular Não Sustentada Monomórfica

A Taquicardia ventricular Não Sustentada Monomórfica é um tipo de Taquicardia ventricular na qual cada batimento cardíaco se parece muito com o outro em um exame de eletro.

Taquicardia ventricular Não Sustentada Polimórfica

Já a Taquicardia ventricular Não sustentada Polimórfica é um tipo de Taquicardia ventricular no qual o batimento cardíaco se difere em um exame de eletro.

Taquicardia ventricular sem pulso

pulso taquicardia
Taquicardia pode diminuir o pulso.

A Taquicardia ventricular sem pulso, TVSP, está relacionada a fortes batidas do coração e causam parada cardíaca. Refere-se aos rápidos batimentos ventriculares que podem levar a uma acentuada hemodinâmica e, com isso, podendo chegar a uma ausência de pulso arterial que não é palpável, sendo considerada assim uma parada cardíaca.

Taquicardia ventricular – ECG

ECG é a sigla que denomina o exame mais popular dessa área, referente aos cuidados com a região do coração, é o famoso Eletrocardiograma, também conhecido como Eletro, um
importante exame para verificar a ocorrência de alguma Taquicardia ventricular.

Para entender o que diz o ECG é necessário que você seja um especialista da área ou que tenha um preparo técnico para tal, pois é de extrema importância que esse exame seja lido de maneira correta sem deixar de lado a interpretação dos gráficos que são fornecidos pelo aparelho.

Não basta apenas interpretar corretamente o exame, é necessário que o mesmo também seja feito de maneira correta, para isso alguns itens como a velocidade da máquina e a amplitude do papel devem estar em perfeita conformidade.

Para ler e interpretar um exame de ECG é necessário que se siga a sequência abaixo para
interpretações, segue abaixo:

  • Calcular a Frequência Cardíaca.
  • Analisar o Ritmo Cardíaco.
  • Intervalo PR.
  • Intervalo QT.
  • Eixo Elétrico.
  • Alterações do segmento ST.

Existem outras análises que podem ser verificadas e feitas, mas é importante conferir a
sequência acima.

Os resultados obtidos através do ECG devem ser analisados juntamente com os sintomas que o paciente relatou acompanhado também de seu registro médico e outros exames que possam ajudar a detectar algum problema para dar um diagnóstico preciso.

Sintomas Taquicardia ventricular

A Taquicardia ventricular é uma condição em que o coração acelera e o indivíduo corre o
risco de morte súbita, isso é muito grave e prestar atenção em alguns sintomas que isso causa antes de ocorrer pode ser a diferença entre a vida e a morte.

Conhecer os sintomas da Taquicardia ventricular e saber aplicar procedimentos de primeiros socorros é uma ótima combinação para salvar a vida de alguém, veja abaixo alguns dos sintomas para ficar atento:

  • Desmaio.
  • Fadiga, como se você tivesse feita bastante exercício e o coração está acelerado.
  • Frequência cardíaca bastante alta.
  • Tontura/ vertigens.
  • Morte súbita abortada.
  • Palpitações cardíacas.
  • Falta de ar e cansaço.
  • Dor intensa.
  • Estresse e ansiedade.
  • Ataques de pânico/ fobias.
  • Exercícios físicos bastante intensos.
  • Emoções bem fortes como sustos, felicidade ou medo.
  • Uso de tabaco.
  • Consumo de bebidas como energéticos.

Causas da Taquicardia ventricular

É importante estar atento também às causas da taquicardia ventricular é um cuidado
necessário para evitar essa condição e se já a tiver, evitar sua manifestação, para ter uma vida saudável. Segue abaixo algumas causas importantes para a manifestação da Taquicardia ventricular:

  • Lesão do miocárdio sendo de forma discreta ou evidente.
  • Episódio já existente de miocardite.
  • Cardiopatia alcoólica.
  • Doença de chagas.
  • Infarto agudo referente ao miocárdio.
  • Possuir Síndrome de Brugada.
  • Miocardiopatia hipertrófica.

Apesar dos sintomas acima, a Taquicardia ventricular também por ocorrer em indivíduos que não possui histórico para essa propensão, muitas vezes pode ocorrer sem motivo algum ou por condição genética.

Tratamentos da Taquicardia Ventricular

O tratamento tem o objetivo de alterar o ritmo acelerado do coração para o seu ritmo normal e evitar que essa condição venha se manifestar futuramente.

Existem tratamentos para a Taquicardia ventricular de emergência e a longo prazo, conheça algum deles:

Tratamentos para taquicardia a longo prazo

  • RCP.
  • Choque Elétrico.
  • Medicamento para antiarritmia intravenosa.
  • Desfibrilação elétrica.

Tratamentos de emergência

  • Tratamento taquicardia
    Tratamentos para taquicardia, desfibrilador como medida de emergência.

    Desfibrilador cardioversor: é um dispositivo que pode ser implantado no corpo do
    indivíduo para interromper a Taquicardia quando ela ocorrer.

  • Ablação radiofrequência: É uma forma de destruir as vias anormais que fazem com que o coração bata incorretamente.
  • Terapia de ressincronização cardíaca: é um tipo de marcapasso que é implantado para regular o batimento do coração.

Agora você está apto a identificar uma Taquicardia ventricular tenha cuidado, previna-se e compartilhe com seus amigos!

5 (100%) 30 votes